Mais de 80% dos alunos de medicina da Unicamp vieram de rede pública

Há quatro anos, alunos representavam apenas 15% - bonificação no vestibular explica mudança, diz universidade

Postado em: em Educação

O número de estudantes que cursaram o ensino médio na rede pública matriculados no curso de medicina da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) saltou de 15% para 81% nos últimos quatro anos, de acordo com dados da Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest).

Para a coordenadora de graduação da Faculdade de Ciências Médicas (FCM), Joana Fróes Bragança Bastos, as modificações realizadas no Programa de Ação Afirmativa para Inclusão Social (PAAIS) em 2015 e aplicadas a partir do Vestibular 2016 estão diretamente ligadas à maior participação desses estudantes no curso de medicina.

O PAAIS foi instituído em 2004 e aplicava bônus às notas dos estudantes oriundos da rede pública nas provas da 2ª fase do vestibular.

A partir do vestibular 2016, o sistema de bonificação começou a ser utilizado também na 1ª fase do processo seletivo. "Como resultado desta política houve aumento do número de alunos ingressantes que se utilizaram desta bonificação chegando a aproximadamente 80% dos alunos matriculados no curso de medicina em 2018, levando a uma maior diversidade social e étnica", destaca Joana.

Um levantamento da Unicamp com o desempenho dos alunos em anos anteriores à mudança do PAAIS mostra que diferença de desempenho dos estudantes da rede pública dos demais candidatos aprovados no vestibular, verificado nas notas do processo seletivo, é igualado ou até mesmo superado durante a graduação.

Novos estudos sobre o desempenho dos alunos ingressantes com a bonificação do PAAIS estão sendo realizadas pela universidade. "Como o curso de medicina apresenta alta demanda, os alunos ingressantes foram submetidos a rigoroso processo de seleção e apresentam alto rendimento durante o curso", defendeu a professora Joana Fróes Bragança Bastos.

Como funciona o PAAIS

Desde o Vestibular 2016, estudantes da rede pública recebem bonificação de 60 pontos na 1ª fase do processo seletivo da Unicamp. Os candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas (PPIs) recebem mais 20 pontos.

Na 2ª fase, o bônus passa a ser de 90 pontos para estudantes do ensino médio da rede pública, com adicional de 30 pontos aos PPIs.




Artigos Relacionados