IRPF 2020: Receita Federal divulga quantas pessoas ainda precisam declarar

Recomenda-se não deixar para declarar em cima da hora, correndo risco de declarar errado e pagar multa

Postado em: em Economia

O prazo para declaração do IRPF foi prorrogado até 30 de junho. Recomenda-se não deixar para declarar a renda em cima da hora, correndo o risco de fazer às pressas e declarar dados errados e acabar tendo que pagar multas.

A estimativa da Receita Federal é receber mais de 32 milhões de declarações de IRPF este ano. Porém, até o dia 30 de março, foram recebidas apenas 8.195.164 declarações.

Levando em consideração o número estimado, ainda foram recebidas poucas declarações. 

Especialistas recomendam usar o tempo da quarentena em casa para fazer a declaração. Mas antes de se preocupar, é preciso verificar se você faz parte do perfil de contribuintes que devem declarar os ganhos do último ano.

De acordo com a Receita Federal, as pessoas que devem fazer a declaração do IRPF são:

  • Brasileiros que tiveram rendimento tributável com valor igual ou acima de R$ 28.559,70;
  • Rendimentos tributáveis e não tributáveis, vindos direto da fonte, com valor igual ou acima de 40.000,00;
  • Brasileiros que chegaram a ter renda com valor igual ou acima R$ 142.798,50;
  • Quem passou a ter posse de bens cujo valor seja igual ou maior a R$ 300.000,00;
  • Teve algum ganho de capital sobre alienação de bens e direitos;
  • Cidadãos que chegaram a fazer ações na bolsa de valores, mercados futuros ou atividades correlacionadas;
  • Cidadãos residentes em áreas rurais que tenham interesse em fazer alguma compensação de prejuízos ou perdas relacionadas ao ano anterior.

Estas pessoas devem ficar atentas e fazer o download do programa que realiza declaração de renda em seu computador. 

Neste programa serão imputadas as documentações referentes aos ganhos e investimentos no último ano.

Há ainda pessoas isentas de realizar o pagamento: Pessoas com renda relativas à aposentadoria, pensão ou reserva/reforma (militares) e portadores de doenças específicas. Para saber mais sobre cada uma delas, acesse o site da Receita Federal.


Artigos Relacionados