INSS: 150 agências estão aptas a atender perícia médica em todo o país

Cerca de 600 mil segurados do INSS aguardam na fila da perícia médica

Postado em: em Saúde

O INSS informou que 646 agências abriram no país e que mais de 150 estão aptas a atender perícia médica, nesta segunda-feira (21). Pelo menos 122 médicos peritos retornaram ao trabalho presencial nas agências do INSS em todo país. 

Os dados são da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, que informou ainda que eram esperados 378 peritos. Ou seja, havia número maior de agências consideradas aptas do número de médicos para prestar atendimento presencial. 

Na última sexta-feira, apenas 34 haviam voltado a atender presencialmente. Cerca de 600 mil segurados do INSS aguardam na fila da perícia médica.

A expectativa é de que na terça-feira, o número seja de 476 peritos. A inclusão de novos peritos tem sido gradual, segundo a secretaria. Mas nem todos voltarão ao trabalho. Aqueles que estão em um grupo de risco para a Covid-19 continuarão no trabalho remoto.

A secretaria não informou se descontou horas não trabalhadas dos médicos peritos que não compareceram ao trabalho.

O secretário especial da Previdência e Trabalho do Ministério, Bruno Bianco, disse que as agências vistoriadas e consideradas aptas pelo governo iriam abrir as portas para receber a população nesta segunda-feira. Já os médicos condicionaram o retorno, na terça-feira, à adequação das agências.

No último dia 14, o INSS retomou o atendimento presencial em parte das agências do país para prestar serviços que não podem ser feitos remotamente. Os segurados só estão sendo atendidos com horário marcado e as unidades funcionam das 7h às 13h.

Divergência
Os peritos representados pela Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP), entretanto, decidiram não voltar ao trabalho presencial na semana passada por considerar que as agências não cumpriam requisitos de segurança sanitária.

Na sexta, o governo publicou uma edição extra do diário oficial e ameaçou cortar o ponto dos médicos convocados que não retornassem nesta segunda ao trabalho. O governo disse ainda que acionaria o Ministério Público Federal e o do Trabalho para vistoriarem as agências.

A ANMP anunciou que faria novas vistorias antes de retomar atendimentos. Há cerca de 1,5 milhão de beneficiários aguardando perícia médica.


Artigos Relacionados