Igreja católica de Franca muda ritos para prevenção do coronavírus na região

Entre as orientações estão suspensas durante as celebrações o abraço da paz e também o gesto de dar as mãos

Postado em: em Cidades

Monsenhor José Geraldo Segantin fez o aviso aos paroquianos de Santo Antonio

As igrejas espalhadas por Franca e pela área da Diocese adotaram uma providência comum, antecipando-se às campanhas públicas de prevenção do coronavírus.

Há cerca de duas semanas, o monsenhor José Geraldo Segantin explicou numa das celebração da Paróquia de Santo Antonio, na Cidade Nova, que a medida era de prevenção.

Nenhum caso ou suspeita ainda havia sido registrado em Franca e nem em cidades da região, mas que era função da Igreja se antecipar e adotar as medidas que pudessem propiciar a transmissão do vírus.

Segundo a informações de fieis frequentadores das igrejas francanas, o mesmo procedimento foi adotado em outras paróquias e todos os fieis tinham compreendido a preocupação e colaborado com ela.

Entre as orientações estavam suspensas durante as celebrações o abraço da paz e também o gesto de dar as mãos, como no momento da oração do Pai Nosso.

Além disso, os fiéis devem ser orientados a receber a comunhão apenas na forma de pão, preferencialmente na mão, evitando diretamente na boca.

Considerando que todos têm a responsabilidade de evitar situações e circunstâncias que facilitem a transmissão do vírus, e como a Campanha da Fraternidade convoca para ter cuidado com a vida, dom e compromisso, foram tomadas as medidas em todas as igrejas e paróquias.

A Secretaria Estadual de Saúde também monitora a suspeita em outras duas pessoas em Franca. Ao todo, o estado de São Paulo tem 85 notificações em investigação. 

Boletim divulgado pelo Ministério da Saúde na quinta-feira (27) afirma que o Brasil tem 132 casos suspeitos, sendo 55 em São Paulo, mas a pasta admite que número pode ser maior.


Artigos Relacionados