Goleada pressiona, mas Jair segue no Santos; sede em São Paulo é pichada

Jair Ventura é hostilizado pela torcida após derrota por 5 a 1 do Peixa para o Grêmio neste domingo

Postado em: em Futebol

O técnico Jair Ventura não corre risco de demissão neste momento. A goleada sofrida diante do Grêmio, neste domingo, na Arena, em Porto Alegre, não vai alterar o planejamento da diretoria, que avalia como ótimo o trabalho do comandante alvinegro. Depois do jogo, o escritório do Peixe em São Paulo foi pichado por torcedores alvinegros, que fizeram inúmeros questionamentos - o presidente José Carlos Peres foi um dos alvos. 

Na última sexta-feira, durante evento nesta mesma sede, Peres havia classificado o trabalho de Jair à frente do clube como "brilhante" - o treinador foi escalado para participar de evento de anúncio da Philco como nova patrocinadora. Na ocasião, inclusive, foi ressaltado que o desempenho esportivo do Santos era fundamental para manter a patrocinadora feliz com o investimento. 

A atual diretoria considera o trabalho de Jair satisfatório, diante do elenco que o mesmo tem em mãos. A não contratação de um meio-campista, por exemplo, é tema polêmico no Alvinegro. Um articulador no setor é uma das lacunas no elenco atual. 

Sede sofre depredação 
Inaugurado neste ano, o escritório em São Paulo recebeu inúmeras pichações. Dentre os principais questionamentos está a não chegada de um meio-campista, a escalação escolhida por Jair Ventura, a "falta de vontade" do time e até o empresário Cidão, amigo de Peres e responsável por vender parte dos direitos econômicos do lateral-esquerdo Zeca ao Santos, posteriormente repassados ao Internacional em troca envolvendo o atacante Eduardo Sasha - Cidão é aliado do presidente e, inclusive, participou da eleição para presidente no último dia 9 de dezembro, na Vila Belmiro. 


Artigos Relacionados