Fuja do azeite de oliva pirata: saiba reconhecer um produto falsificado

Gosto avinagrado ou rançoso? Seu azeite pode ser falso. Empresas usavam na mistura óleos de soja

Postado em: em Gastronomia

​Depois que o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) anunciou a suspensão da venda de 33 marcas de azeites de oliva por causa de adulterações no produto, o consumidor passou a ficar mais atento na hora de escolher a marca para comprar.

Segundo o órgão do governo, a maioria das irregularidades identificadas nos azeites falsos se referem a mistura do azeite de oliva com óleo de soja ou outros óleos de origem desconhecida. 

O Instituto Brasileiro de Olivicultura (Ibraoliva) pesquisou os lotes irregulares apurados pelo governo.

Sua pesquisa mostrou que 80% das empresas autuadas ficam localizadas no Paraná ou Minas Gerais - sendo Minas o segundo estado com mais produtoras de azeite de oliva cadastradas e atestadas no Brasil.

O primeiro lugar do ranking de maior produtoras fica com Rio Grande do Sul, onde é produzido 90% do azeite mais autêntico extravirgem brasileiro e não tem nenhuma empresa na relação do Ministério da Agricultura.

Apesar disso, de acordo com o Agrolink , a maioria das marcas brasileiras estão em conformidade com as exigências de produção e qualidade para um azeite extravirgem. 

Os produtos retirados do mercado pelos técnicos do Mapa são, em sua quase totalidade, de marcas importadas ou envasadas por empresas clandestinas.

Dicas de como identificar um azeite falso:

O sabor do azeite pode ser um fator para identificar se o produto é falsificado ou não

Para não cair em nenhuma armadilha, o Ibraoliva ensina como identificar azeites falsificados:

  1. Desconfie de azeites muito baratos, afinal, são necessários de 5 a 14 kg de azeitona para se elaborar 1 litro de azeite.
  2. Observe a data de envase ou safra de origem. Os benefícios desse produto se manifestam quanto mais fresco o alimento for.
  3. Teste antes de levar para casa. Azeites Extra Virgens têm características sensoriais muito bem determinadas: é preciso exalar frescor. Fuja se lembrar notas rançosas, fermentadas ou avinagradas.

A suspensão feita pelo Mapa é resultado da Operação Isis do Ministério da Agricultura, iniciada em 2016. 

As amostras das marcas de azeite em que as irregularidades foram identificadas, foram colhidas e analisadas entre 2017 e 2018. 


Artigos Relacionados