Assembleia de MG propõe Frente Parlamentar para discutir Lago de Furnas

A cota mínima 762 é a principal preocupação de deputados mineiros para atividades no entorno da represa

Postado em: em Economia

​A preocupação com o volume do Lago de Furnas e a defesa de que seja respeitada uma cota mínima de água no local deram o tom de audiência pública, realizada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), e que gerou a Frente Parlamentar Itamar Franco, proposta para defender dos interesses do Estado e dos municípios do entorno da Represa de Furnas.

O nome da frente é uma homenagem ao ex-presidente, que se destacou pela defesa da estatal de energia elétrica, quando havia ameaça de privatização da empresa. 

A sugestão foi durante uma audiência pública 13 promovida pela Comissão de Minas e Energia da ALMG. 

A reunião foi requerida pelos deputados Cleiton de Oliveira (Professor Cleiton/DC) e Dalmo Ribeiro Silva (PSDB).

A maioria dos participantes da audiência defenderam a proposta de se manter o nível da água sempre em 762 metros acima do nível do mar, que seria o mínimo para manutenção das atividades turísticas e da piscicultura no Lago de Furnas.

Isso poderia ter impactos, no entanto, na geração de energia por Furnas Centrais Elétricas. Além disso, dependeria de mudanças em leis, inclusive federais.


Artigos Relacionados