Franca será sede em novembro, do III Colóquio Raça e Interseccionalidades

Nilma Lino Gomes, da UFMG, primeira negra a comandar uma universidade pública federal estará em Franca

Postado em: em Cotidiano

 Nilma Lino Gomes, primeira mulher negra a comandar uma universidade pública federal brasileira e também Ministra no Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, fará a conferência de abertura (Foto: Reprodução)

​Durante três dias, Franca será sede do III Colóquio Raça e Interseccionalidades. O evento, que faz parte do Programa de Pós-Graduação em Memória Social, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, é organizado pela professora francana Glenda Cristina Valim de Melo e conta com a colaboração e apoio da docentes dos Programas de Pós-Graduação em Linguística, Marília Rodrigues, e Promoção da Saúde, Cléria Bittar e Regina Bereta,  da Universidade de Franca.

Nos dias 11, 12 e 13 de novembro, pesquisadoras, professores e ativistas vão debater a questão racial articulada às áreas de Letras, Educação, Trabalho e Saúde.

As duas primeiras edições do Colóquio Raça e Interseccionalidades aconteceram no Rio de Janeiro, sempre reunindo grupos de estudiosas e estudiosos interessados em pesquisar as questões raciais. “Durante estes três dias teremos palestras, rodas de conversa, minicursos, apresentação de trabalhos e atividades culturais. Todas as pessoas interessadas em aprender mais sobre a temática são bem-vindas”, afirmou Glenda Melo.

Este ano o tema será “Discurso, Raça e Interseccionalidades na Contemporaneidade”. O III Colóquio Raça e Interseccionalidades será realizado na UNIFRAN como resultado de uma parceria entre UNIRIO, UNIFRAN e Conselho Municipal de Desenvolvimento da Comunidade Negra (COMDECON).

O evento em Franca terá as presenças de nomes reconhecidos no trabalho valorização.

de uma identidade étnica do negro no Brasil como: professoras Ana Lucia Sousa Silva da UFBA; Aparecida de Jesus Ferreira, da UEPG; Claudia Nigro, UNESP São José do Rio Preto; Elisandra Pereira, IFSP-Birigui; Kassandra Muniz, UFOP; Lia Vainer Schucman, da UFSC; Marília Guimarães Pinheiro, IFSP-Sertãozinho; Rutinéia Cristina Martins do COMDECON Franca, das profissionais da área da Saúde Mariana Gomes, COMDECON Franca e Valeska Mendes Vieira, de São Paulo. No primeiro dia do Colóquio, a conferência de abertura contará com a presença da professora Nilma Lino Gomes, da UFMG, a primeira mulher negra a comandar uma universidade pública federal brasileira e também Ministra no Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos durante o governo Dilma. A pesquisadora também fará o lançamento do livro “Movimento Negro Educador”, uma importante referência sobre o Movimento Negro no Brasil.

“Nosso maior objetivo é promover uma troca de conhecimento entre comunidade e universidade. Uma das responsabilidades da universidade pública é propiciar essa troca de conhecimento independente das fronteiras geográficas”, disse a professora Glenda.

“Eu acredito na importância de nunca esquecer as raízes e contribuir com a local de onde viemos. Franca é onde nasci e passei a maior parte da minha vida, é muito importante contribuir de alguma forma com o debate racial que ocorre na cidade, tão relevante, para um país justo, igualitário e sem racismo, afinal, quando um ganha, todos são beneficiados”, finalizou a professora. 

O III Colóquio Raça e Interseccionalidades é realizado pela UNIRIO com os apoios da UNIFRAN, UFRJ, COMDECON, Prefeitura de Franca, CAPES e os patrocínios de Stop And Learn e Erika Valim Advocacia e Consultoria.


Artigos Relacionados