Trabalho: Franca, Ribeirão e Barretos têm 81,64% de baixa em criação de vagas

Em Franca, a indústria foi a maior responsável pelos números positivos, com 1.443 postos com carteira assinada

Postado em: em Trabalho

Três das principais cidades da região de Ribeirão Preto encerraram janeiro com saldo positivo na geração de vagas, mas com recuo de até 81,64% em relação ao desempenho registrado no mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia.

A maior diferença ficou com Barretos, que saiu dos 158 empregos com carteira assinada para apenas 29 este ano.

Maior município da região, Ribeirão Preto computou 424 vagas abertas, o que equivale a 67,35% a menos na comparação com 2018.

Assim como em 2018, Franca começou o ano como segunda maior geradora de empregos do Estado, somente atrás da capital, mas com um saldo 34,37% inferior, que totalizou 1.640 vagas.

Das principais cidades da região, Sertãozinho foi a única que terminou janeiro sem queda, ainda assim com uma elevação de somente 0,51% na abertura de vagas: 1373 contra 1366 anteriormente. O resultado garantiu ao município a terceira maior geração de empregos em São Paulo no mês passado. 

Comércio puxou quedas

Em Ribeirão Preto, serviços, com 458 oportunidades, indústria, com 255, e construção civil, com 243, puxaram a geração de empregos, mas o comércio, com 529 vagas perdidas, contribuiu para reduzir o saldo final.

Em Franca, a indústria foi a maior responsável pelos números positivos, com 1.443 postos com carteira assinada criados, seguida por serviços, com 240 empregos formais. Por outro lado, comércio - com 42 vagas fechadas - e construção civil - com 7 - ficaram no negativo.

Da mesma forma, em Barretos, o comércio foi o segmento que mais perdeu vagas, com déficit de 43 postos, compensado por saldos gerados por serviços - 29 oportunidades -, indústria - 28 - e construção civil - com 22.

Já em Sertãozinho o comércio teve alta de 40% no saldo, com 83 oportunidades abertas, e ajudou a impulsionar o balanço do mês ao lado de indústria, com 708 oportunidades criadas, construção civil, com 446, e serviços, 133.


Artigos Relacionados