​Franca registra 391 acidentes envolvendo escorpiões no ano de 2019​

Infestação de escorpiões obrigou a transferência de 500 alunos da Escola Professor Mitermayr Alves Barbosa

Postado em: em Saúde

O aumento do aparecimento de escorpiões em Franca tem preocupada a população, principalmente após o caso do pequeno João Gabriel Borges da Silva, de apenas 3 anos, que foi ferido no peito em sua casa no Jardim Brasilândia. Ele estava internado há uma semana e não resistiu, vindo a falecer neste domingo, 22 de dezembro.

Já são pelo menos 7 óbitos causados por escorpiões no estado de São Paulo. Até o caso de Franca, as mortes haviam sido registradas nas regiões de Presidente Venceslau (2); Franco da Rocha; Marília; São José do Rio Preto e Taubaté. Houve um total de 4.638 casos de picadas no mesmo período, segundo Estatística do Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Estado.

Já Franca, segundo a Vigilância Sanitária, em 2019, registrou 391 acidentes envolvendo escorpiões. Inclusive, uma infestação de escorpiões obrigou, no final de novembro, a transferência de cerca de 500 alunos, com idades entre 4 e 11 anos, da Escola Municipal de Ensino Básico (Emeb) Professor Mitermayr Alves Barbosa, em Franca, para outra unidade de ensino.

E apesar de assustar, o número de mortes este ano é, até agora, menor que o de 2018, quando aconteceram 13 óbitos, mas já se igualou a 2017.

Os acidentes com escorpiões este ano já mataram mais que as picadas de serpentes – 5 mortes - , e aranhas – 1. Ataques de abelhas no mesmo período foram responsáveis por 8 mortes.

No estado de São Paulo, os ataques mais frequentes são causados pelo escorpião amarelo – Tityus serrulatus. A picada do escorpião marrom, que também é bastante comum, causa muita dor, mas o efeito do veneno geralmente é menos grave.

Rede de atendimento

A região tem 19 unidades de referência para aplicação do soro contra picada de escorpião. Entretanto, segundo a Secretaria Estadual da Saúde, em caso de acidente, o paciente deve procurar imediatamente qualquer serviço de saúde mais próximo.

A gravidade do caso depende de fatores, como a espécie e tamanho do escorpião, a quantidade de veneno inoculado, a idade e tamanho do paciente: crianças com menos de 10 anos de idade e idosos compõem o grupo mais vulnerável.

Veja a lista com unidades de referência.

  • Altinópolis: Santa Casa - Rua Coronel Joaquim Alberto, 421
  • Barretos: Santa Casa - Avenida 23, 1.208
  • Bebedouro: Hospital Municipal - Raul Furquim, 2.010
  • Cajuru: Centro de Saúde Doutor Hofez Zacharias Behy Soro - Rua Capitão José F. Diniz, 540
  • Colina: Hospital José Venâncio - Praça Lamounier de Andrade, 126
  • Colômbia: Hospital Municipal - Rua Antonio Prado, 807
  • Franca: Santa Casa - Praça Dom Pedro I, 1826
  • Guaíra: Santa Casa - Rua 24, 872
  • Igarapava: Santa Casa - Rua Coronel Francisco Martins, 769
  • Ipuã: Santa Casa - Rua Ferdinando Fratin, 335
  • Ituverava: Santa Casa - Rua Capitão Antônio Justino Faleiro, 729
  • Morro Agudo: Hospital São Marcos da Gama - Rua Sebastião Antônio Muniz, 164
  • Orlândia: Hospital Beneficente Santo Antônio - Avenida 3, 941
  • Patrocínio Paulista: Santa Casa - Rua Cônego Peregrino, 1181
  • Pedregulho: Santa Casa - Rua Tenente Salviano, 125
  • Ribeirão Preto: Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas - Rua Bernardino de Campos, 1.000
  • São Joaquim da Barra: Santa Casa - Rua Piratininga, 1221
  • Taquaritinga: Santa Casa - Praça Doutor José Furiatti, 153
  • Taquaritinga: UPA - Avenida Vicente José Parise, 2.100

Artigos Relacionados