Presos dois suspeitos de falsificar 20 mil litros de azeite proibido no país

Galpão no Jardim Anita foi fechado; Vigilância Sanitária busca fábrica de biodiesel para destinar o produto

Postado em: em Segurança

Dois homens foram presos na última sexta-feira, 23 de agosto, em uma suposta fábrica de falsificação de azeites em Franca. Segundo a Polícia Civil, no local foram apreendidas 40 mil unidades de produto cuja comercialização foi proibida recentemente pelo Ministério da Agricultura.

O delegado Márcio Murari explicou que a dupla substituía os rótulos do azeite proibido por outros de marca comercializada na cidade. A Vigilância Sanitária foi acionada, constatou a irregularidade do produto e providenciará a remoção e descarte do material.

"Essa carga veio parar na mão deles. Eles falaram que veio de São Paulo, são 20 mil litros de azeite. Tem mais dois envolvidos junto com os dois que foram presos, mas até agora não conseguimos localizar. Todos são de Franca", disse o delegado.

Os homens, de 38 e 42 anos, foram levados para a Delegacia de Investigação Gerais (DIG) e responderão por crime de falsificação de produto alimentício. O galpão no Jardim Anita foi lacrado.

O chefe da Vigilância Sanitária, André Szabo, disse que os produtos não podem ser descartados porque são poluentes.

A Vigilância busca uma empresa produtora de biodiesel que possa reaproveitar a substância, semelhante a óleo de soja.


Artigos Relacionados