EUA aprovam novo remédio para o tratamento contra câncer de mama

A droga chamada trastuzumabe deruxtecan está sendo testada em pacientes americanos e brasileiros

Postado em: em Saúde

Uma nova terapia biológica para tratamento do câncer de mama HER2 positivo foi aprovada esta semana pelo FDA, agência dos Estados Unidos que controla alimentos e medicamentos.

A droga chamada trastuzumabe deruxtecan está sendo testada em pacientes americanos e também brasileiros, no Hospital Conceição, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, todos acompanhados pela Sociedade Brasileira de Mastologia. 

A boa notícia foi dada pelo coordenador do Serviço de Mastologia e da Pesquisa Clínica do Hospital Conceição e diretor da Sociedade Brasileira de Mastologia, José Luiz Pedrini.

Ele diz que o medicamento é uma nova esperança para ajudar mulheres que têm o retorno da doença, após esgotar vários tratamentos sem sucesso em câncer de mama HER2 positivo metastático.

Ele diz também que a droga possibilita que as mulheres fiquem em condições físicas e psíquicas para manter um relacionamento social estabilizado.

“Esta é uma terapia biológica, que combina um anticorpo – espécie de vacina - com um quimioterápico dirigido à célula tumoral e com efeitos colaterais bem controlados, deixando uma qualidade de vida mais aceitável”, explica o pesquisador.

O médico explica que na maioria das pacientes não houve grande perda dos cabelos e os sintomas foram amenizados.

Médico José Luiz Pedrini

“Algumas já tinham feito mais de oito tipos diferentes de tratamentos químicos com recaídas e agora com esse medicamento houve redução de até 60% da doença. Os resultados mostram que esse tratamento respondeu melhor e é menos tóxico”, completa Pedrini.

Nesta fase do estudo, estão sendo colocados pacientes que tiveram progressão da doença mesmo após esgotados os tratamentos iniciais para câncer de mama metastático.

O HER2 positivo é um tipo de tumor que costuma ser mais agressivo, ou seja, cresce e se dissemina mais rapidamente do que outros tipos de câncer e deve ser tratado com medicamentos específicos.

Atualmente, são tratados através da terapia-alvo, que atinge somente a célula tumoral, minimizando os efeitos tóxicos ao restante do organismo.

No Brasil

De acordo com o portal da Sociedade Brasileira de Mastologia, em breve, a droga deverá ser aprovada pela Anvisa -- Agência de Vigilância Sanitária e poderá ser utilizada em pacientes brasileiras.

(Com informações da SBM)


Artigos Relacionados