Estado de São Paulo registra queda dos casos de estupro em janeiro

As 261 ocorrências de janeiro representam redução de 13% em comparação ao passado

Postado em: em Segurança

A Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo divulgou um balanço com as estatísticas de ocorrências criminais referentes ao primeiro mês de 2019. Um dos aspectos positivos registrados foi a redução de 13% no índice de estupros ocorridos no período em relação a 2018. Foram 261 os casos registrados contra 300 no mesmo período do ano passado.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil Ruy Ferraz Fontes, o trabalho efetivo de combate ao crime de estupro está diretamente ligado à repressão. “O estuprador, muitas vezes, não é uma pessoa que comete esse tipo de crime uma única vez. Em grande parte dos casos esse criminoso é reincidente. A chance do estuprador cometer o mesmo crime outras vezes, caso continue em circulação, é grande. Por isso, o melhor combate que existe ao crime de estupro é a investigação e a retirada de circulação destes criminosos”, defende.

De acordo com o delegado-geral o registro de ocorrência desta violência sexual é inversamente proporcional ao número de prisões feitas nas semanas e meses anteriores. “Existe uma política governamental dirigida para o foco na investigação deste tipo de crime e, além disso, há um forte investimento em recursos humanos, especialmente nas delegacias da mulher.

Latrocínios e roubos também diminuem

Outros índices positivos observados no levantamento do mês de janeiro dizem respeito ao roubo de veículos e latrocínio, estatísticas que precisam ser analisadas de forma conjunta, de acordo com o delegado-geral Ruy Ferraz Fontes.

As ocorrências de roubo de veículos apresentaram redução de 12% em relação ao mesmo período do ano passado (3.948 em janeiro de 2019 diante de 4.513 em janeiro de 2018); os latrocínios (roubos seguidos de morte) também apresentaram queda, e ainda mais significativas: foram 17 casos em janeiro deste ano, contra 23 em janeiro do ano passado. Uma redução de mais de 26% nas ocorrências registradas.

Para o especialista em segurança, uma estatística alavanca diretamente a outra. “Em muitos casos o cenário do latrocínio é exatamente o roubo do veículo. Portanto, coibindo o roubo do veículo, a tendência é que o latrocínio também seja combatido e reduzido”, afirma o delegado Ruy.

Para ele, a estratégia de prevenção a estes tipos de crime – muitas vezes relacionados – é bem clara. “Nós já atacamos, e continuaremos atacando, os desmanches. Todos os estabelecimentos que estiverem irregulares, tanto do ponto de vista criminal, quanto do administrativo, serão desativados. Quando estas operações são bem-sucedidas o roubo de veículos tende a diminuir e, por consequência, os latrocínios”, finaliza.


Artigos Relacionados