Engenheiro usa impressora 3D para criar próteses gratuitas para carentes

Feitos de plástico, os braços em 3D permitem que os usuários levantem e segurem itens com peso de até 9kg

Postado em: em Filantropia

O engenheiro industrial Guillermo Martinez, de 24 anos, tem como lema de profissão ‘pensar fora da caixa’.

E foi justamente usando sua criatividade e seu talento para inovar que ele conseguiu realizar o trabalho do qual mais se orgulha, criar próteses gratuitas para pessoas carentes usando impressora 3D.

Depois de comprar uma impressora 3D em 2017, Guillermo começou a pesquisar sobre como construir robôs e acabou esbarrando em um tutorial no Youtube sobre a construção de uma mão protética.

“Comecei a fazer muitas próteses manuais impressas em 3D por diversão”, disse Guillermo ao Insider. “Então pensei comigo: ‘e se isso puder realmente ajudar alguém?”

Guillermo estava prestes a partir em uma viagem ao Quênia, então entrou em contato com uma ONG local para ver se alguém poderia ser beneficiado com as próteses criadas por ele.

A resposta o surpreendeu. Ele recebeu uma enxurrada de mensagens de pessoas pedindo próteses. Guillermo então percebeu que tinha nas mãos a possibilidade de mudar as vidas dessas pessoas. 

Foi assim que surgiu o projeto Ayúdame3D (Me Ajuda 3D, em espanhol).

Reprodução/Facebook.

Enquanto muitos moradores do país estão sem membros, muito poucos podem comprar próteses. 

Segundo o Banco Mundial, 36% dos quenianos vivem abaixo da linha da pobreza. Felizmente, as próteses de Guillermo custam apenas US $ 50 para serem produzidas – mas ele as distribui gratuitamente.

Feitos de plástico, os braços impressos em 3D permitem que os usuários levantem e segurem itens com peso de até 9kg, facilitando muito as tarefas diárias.

“Finalmente poderei pegar um garfo com uma mão e pão com a outra”, disse uma das pessoas beneficiadas pelo projeto de Guillermo.

Depois de distribuir seu primeiro lote de próteses no Quênia, o jovem queria disponibilizar seus membros protéticos para pessoas de todo o mundo, sem nenhum custo.

E ele tem trabalhado incansavelmente para fazer isso. Até agora, ele já entregou 50 próteses para pessoas no Quênia, El Salvador, Chade, Marrocos, Tanzânia e Espanha.

Reprodução/Facebook.

“Há pequenas coisas que fazemos em nossas vidas cotidianas que tomamos como garantidas”, disse Guillermo. “E não percebemos a sorte que temos. Para outros, é uma luta constante, e é por isso que eu montei o Ayúdame3D, para fazer minha parte para ajudar, por menor que seja.”

Além disso, Guillermo também está ensinando as crianças a usar impressoras 3D através do Ayúdame3D Kids para que elas também possam criar membros protéticos!

Reprodução/Facebook.

Através de seu trabalho, Guillermo provou ser muito mais que um inovador. Ele é um líder, um humanitário e, o mais importante, um herói para todos que ele ajuda. 

O Ayúdame3D funciona com doações, por isso, se você quiser ajudar, considere fazer uma contribuição financeira aqui.

*Psicologias do Brasil


Artigos Relacionados