​Emdef é sustentável, precisa de uma boa gestão e de ajuda da Prefeitura

A Emdef vem atravessando uma grande instabilidade econômica-financeira, sem suporte da Prefeitura

Postado em: em Política

O vereador Marco Antônio Garcia foi duramente crítico sobre as contas da Emdef – Empresa Municipal para o Desenvolvimento de Franca – quanto à análise negativa por parte de auditores do Tribunal de Conta dos Estado de São Paulo. 

“Eu, o Adérmis, Della Motta e o vereador Kaká visitamos a Emdef e, após uma criteriosa inspeção, entendemos que a empresa de economia mista da Prefeitura é sustentável, proporciona retaguarda ao Município, precisa de gestão administrativa eficaz e ajuda da Prefeitura”, disse.

Ele se posicionou desta maneira ao tomar conhecimento pelo Jornal da Franca sobre as irregularidades das contas de 2018 da empresa. 

A Emdef vem atravessando uma grande instabilidade econômica-financeira. E nem sempre a Prefeitura dá a devida atenção. 

Marco Garcia explicou que em passado não muito distante, a Emdef apresentou superávit, comprou máquinas e recuperou outras, e fez um diferencial enorme para a cidade.

“Daí eu pergunto: o que falta? Precisamos valorizar e encontrar uma alternativa para a empresa!”.

AS CONTAS

No parecer das contas de 2018, o Tribunal disse que a EMDEF apresentou um prejuízo de R$ 1,39 milhões (9,77% das suas receitas do período). 

Na Demonstração de Mutações do Patrimônio Líquido, o patrimônio líquido negativo trazido do exercício anterior de R$ 6,01 milhões cresceu negativamente para R$ 7.41 milhões. 

Os indicadores de endividamento da entidade evidenciaram um aumento de 37,17% do seu passivo de curto prazo ombreado a um decréscimo de 20,54% do seu ativo circulante. 

Em linhas gerais, seus indicadores de endividamento obtiveram uma piora na performance no exercício em exame, quando cotejados com o ano de 2017.

Por este motivo, as contas de 2018 da Emdef foram julgadas irregulares.


Artigos Relacionados