Em 4 meses, acidentes de trânsito causam 20 mortes em Ribeirão Preto

Dados apontam que 13 vítimas eram motociclistas. Especialista aponta necessidade em melhorias na área urbana

Postado em: em Cidades

Em quatro meses, 20 pessoas morreram em acidentes de trânsito em Ribeirão Preto, segundo dados do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga).

O banco de dado reúne informações de acidentes de diversas fontes, como Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal. Desse total, quem lidera o ranking são os motociclistas. Foram 13 casos de mortes registrados em janeiro a abril.

Na sequência estão os atropelamentos com cinco casos registrados e, os acidentes fatais envolvendo carros somam duas ocorrências nesse período.

O especialista em planejamento e gestão de trânsito, Luiz Gustavo Correia, possui um estudo que ajuda a entender a estatística na cidade.

Para ele, são necessários mais investimentos na área de mobilidade urbana. “A gente percebe que há necessidade de investimentos em ruas, avenidas e também no transporte em massa. Ribeirão Preto tem quase o dobro de motos de cidades do mesmo porte, isso mostra para a gente os riscos e os números altos de acidentes e de óbitos, visto que quando há um acidente como motocicleta o risco é sempre maior de ser um acidente grave”, diz Correia.

A Empresa de Trânsito e Transporte Urbano de Ribeirão Preto (Transerp) foi procurada para comentar o caso, mas não se manifestou.

A família de Eliane Previato faz parte desta estatística apontada pelo Infosiga. O irmão dela, Flávio Previato, de 51 anos, voltava para casa de moto quando foi atingido por um carro na Avenida Eduardo Andrea Matarazzo (Via Norte) em janeiro.

A vítima morreu no local e o motorista foi preso em flagrante. “A Justiça tem que ser feita. Ele tirou a vida de uma pessoa de bem, uma pessoa com família e ele não pode ficar impune Totalmente imprudente, bêbado, na contramão e meu irmão voltava do serviço, tinha trabalhado a noite inteira, voltava para a família e aconteceu uma tragédia dessa”, desabafa.

O condutor do veículo vai ser ouvido pela primeira vez pela Justiça no dia 04 de julho. O advogado dele, Marcos Messias de Souza, disse que vai provar a inocência do cliente.

Reclamações

Quem enfrenta o trânsito no dia a dia reclama da imprudência nas ruas de Ribeirão Preto. “Problema aqui é o seguinte: ninguém obedece. Ninguém obedece a seta, ninguém obedece nada, ninguém está obedecendo de jeito nenhum”, diz o motorista, José Pontes.

O motociclista Carlos Augusto Barbosa explica que além do fluxo pesado de veículos e da falta de respeito dos motoristas, é preciso encarar outros diversos problemas, o que prejudica ainda mais a rotina de quem está sobre duas rodas. “Motoqueiro sofre muito em Ribeirão. Está complicado, ontem furou o pneu da minha moto”, desabafa.

Correia afirma que a utilização da moto é uma opção mais acessível para a população, já que o transporte público não funciona como deveria. “Ela [motocicleta] me atende para chegar à necessidade com tranquilidade. Porém, hoje eu não tenho opção de um transporte público de boa qualidade. Acredito que o cidadão acaba optando pela moto devido à falta de um transporte de qualidade que o leve no seu dia a dia”, conclui o especialista em trânsito.


Artigos Relacionados