Eduardo Machado prepara lançamento de seu novo CD "Málagma" para o dia 30/08

Trabalho conta com 9 faixas inéditas e traz uma pegada mais "groove", diferente dos CD's anteriores

Postado em: em Cultura

Eduardo Machado celebra seu 6º CD Málagma (Foto: Delzio Marques)

O baixista Eduardo Machado prepara para o dia 30 deste mês, o lançamento de seu novo CD, “Málagma”, em todas as plataformas digitais. “É meu 6º CD e trata-se de mais um trabalho autoral, mas numa onda diferente dos anteriores, agora é "groove"!”, comenta Eduardo.

“Málagma” traz 9 faixas inéditas – 8 foram gravadas no início de 2019, e uma em 2014, ano em que nasceu a ideia do disco e quando o músico compôs a maioria das canções. “Quem me ajudou na seleção das músicas, formas, e vários detalhes, foi meu brother de longa data, Eron Guarnieri”, destaca.

Eduardo Machado, Carlos Bala e Eron Guarnieri durante gravação

E para que o novo trabalho de Eduardo Machado ficasse pronta trazendo essa “roupagem” diferente, ele contou com a parceria de músicos de peso, escolhidos a dedo, como o baterista Carlos Bala; o sax tenor Marcelo Martins; Eron Guarnieri nos teclados; Mauro Hector na guitarra; Tiquinho no trombone; Paulinho Viveiro no trompete; Marcelo Pereira no sax tenor e participação especial de Fabrício Bispo na última faixa.

Com sua guitarra, Mauro Hector empresta um pouco de seu talento à Málagma

(2014), além de Fernando Rast na bateria; Gil Reis no teclado; Vinícius Melo na guitarra e Beto Sapio no trompete.

Nos arranjos metais, “Málagma” também contou com a experiência do Maestro Tiquinho. As fotos da capa e contracapa são assinadas por Delzio Marques e as artes da capa e encarte por Ana Laura Alvarenga.

Fabrício Bispo faz participação especial na última faixa do novo CD

E quem pensa que “Málagma” é apenas áudio, se engana. Eduardo Machado tem tudo registrado em vídeo – a gravação completa do trabalho realizado e making of -, trabalho este assinado por Thales dos Santos (3B). E o lançamento do vídeo completo será no dia 15 de setembro (domingo), às 20h30, no canal Music Box Brazil (TV por assinatura).

Todo esse trabalho foi gravado em vários estúdios, bateria, baixo e teclado no Estúdio do Giba Favery (São Paulo), metais e guitarra no Estúdio Cayres (São Paulo), vocal Nova Digital (Ribeirão Preto), faixa 2014 no Áudio e Mídia (Franca). A mixagem foi feita com André Bolela no Estúdio Inside Audio & Mídia (Franca). “Já a masterização fiz com Vitor Hirtsch (Nova Iorque) e a finalização com Luiz Leme, pois não é um simples CD, esse trabalho tem uma faixa interativa que tem o vídeo do making of, partituras, playbacks de baixo e bateria, etc”, esclarece Eduardo, acrescentando que a digitalização das partituras foi realizada por Renato Silva Jr.

Maestro Tiquinho, Marcelo Pereira e Paulinho Viveiro também participam do CD

“Málagma” se tornou possível graças ao apoio do Bolsa Cultura da FEAC (Franca). “A pessoa que me ajudou na elaboração e execução desse projeto e tornou esse meu sonho em realidade foi o Alexandre Pimenta”, ressalta agradecido.

Eduardo Machado

Com mais de 30 anos dedicados à música, Eduardo Machado possui um estilo tipicamente brasileiro dentro de um gênero musical oriundo de Nova Orleans, nos Estados Unidos. E é com ele que tem conseguido difundir o jazz e a música instrumental por onde passa.

Ao longo de sua carreira, o baixista já trabalhou com grandes músicos, Alexandre Magno, Diego Figueiredo, Roberto Menescal, Márcio Bahia, Bob Wyatt, Robertinho Silva, entre outros.

Também já lançou cinco álbuns e um DVD e realizou algumas turnês internacionais. Nos últimos meses, Eduardo Machado também pode colocar em prática, o projeto “Falando Baixo”, que visa fomentar a música entre as crianças.

Com apoio da Bolsa Cultura da FEAC, ele e seus parceiros – o pianista/tecladista Gil Reis e o baterista Mário Teodoro –percorreram de abril a junho, algumas escolas públicas de Franca realizando uma série de apresentações e oficinas sobre música brasileira. “Foi maravilhoso poder compartilhar um pouco da nossa experiência e também falar um pouco da nossa música, da nossa cultura para toda essa garotada”, comenta Eduardo, que acredita que muitas sementinhas começaram a ser plantadas para o fortalecimento da cultura. 


Artigos Relacionados