Diretora do Hospital da Caridade deve sair do cargo ainda hoje. Veja aqui

A informação circulou ontem (02), mas diretores do IMA pediram tempo até ter uma conversa com a fisioterapeuta

Postado em: em Saúde

Segundo informações de bastidores, a fisioterapeuta Daniela Santana Polati deve ser desligada do cargo de diretora clínica do Hospital da Caridade. 

A informação circulou na tarde de ontem (02), mas diretores do IMA pediram um tempo até ter uma conversa com a fisioterapeuta. Essa conversa seria conduzida por João Berbel.

Segundo pessoas da área da saúde, a saída de Daniela Polati é imperativa, porque na estrutura da saúde pública do Brasil o cargo de diretor clínico é exclusivo de médico, fato que não foi observado pelo Hospital da Caridade.

O eventual desligamento da profissional do Hospital da Caridade, se acontecer,  dará após duas semanas turbulentas e de pronunciamentos nos meios de comunicação e Câmara Municipal, além de ações indevidas junto à Secretaria Estadual de Saúde.

A situação deixou arranhada a imagem do Hospital junto à Prefeitura de Franca, justamente no momento em que o Município precisa de leitos para atender pacientes com Covid 19. 

O hospital, uma iniciativa do IMA (Instituto de Medicina do Além), foi inaugurado no mês passado e reservou 20 dos seus 60 leitos para o tratamento a pacientes com o novo coronavírus.

Superadas as críticas e denúncias, Prefeitura e Hospital da Caridade selaram na tarde de quinta-feira a união de ações. 

Inclusive com a liberação da segunda parcela do convênio firmado no valor de R$ 400 mil e o aluguel do prédio de R$ 50 mil, que estava prevista para a manhã de hoje. Com esse valor será possível pagar os 79 funcionários da unidade hospitalar.

DIFICULDADES 

João Berbel explicou à reportagem do Jornal da Franca que o início das atividades do Hospital da Caridade deveria se dar no final de 2020. 

Mas, diante de um pedido do prefeito Gilson de Souza, por causa da pandemia do Coronavírus, antecipou a data. E o Hospital da Caridade, que estava funcionando com outra finalidade, foi transformado em hospital de Campanha. 

Ele funciona para suporte à Santa Casa e Allan Kardec, onde a Prefeitura reservou leitos de enfermaria e UTIs para atendimento aos pacientes de covid 19.

“Precisamos nos estruturar rapidamente. Adquirimos equipamentos que não estavam programados. Contratamos profissionais. E isso nos trouxe um aumento de despesa", disse João Berbel, líder do IMA. 

Ele explicou que "como as verbas públicas não foram suficientes, hoje estamos devendo para fornecedores. Isso nunca ocorreu dentro da nossa entidade", afirmou. 

"Precisamos de ajuda e, mesmo com os recursos da Prefeitura, os gastos são enormes. Já estamos atendendo pacientes de acordo com o protocolo da Secretaria Municipal de Saúde”, explicou João Berbel. 

Ele ainda ressaltou que talvez precisará dispor de um percentual do patrimônio da entidade IMA para saldar as dívidas. Porém, isso só ocorrerá com o consentimento e autorização do Ministério Público, que será procurado pelos advogados do IMA na próxima semana.


Artigos Relacionados