Depois de 18 anos, começa duplicação da Ronan Rocha entre Patrocínio e Itirapuã

Obra em pequeno trecho de 9,5 km ficou na penumbra da concessão da SP-345

Postado em: - Atualizado em: em Obras

Governador Alckmin e Prefeito Rui, com operários da duplicação

​Começaram as obras de duplicação da Rodovia Engenheiro Ronan Rocha (SP-345) entre os municípios de Itirapuã e Patrocínio Paulista. 

Serão duplicados 9,5 quilômetros da SP-345, do km 10,5, em Itirapuã, ao km 20, em Patrocínio Paulista, com investimento de R$ 71,1 milhões, beneficiando uma população de mais de 22 mil habitantes. 

Em ato meramente político, o governador Geraldo Alckmin acompanhou ontem, quarta-feira (6) o início dos serviços.

"No viaduto de entrada, no trevo de Itirapuã acaba com aquela passagem em nível e nós passamos a ter uma grande obra de arte. Isso traz empresas e emprego para a região, que é o que o Brasil e São Paulo precisam. De outro lado é uma vacina para evitar acidente frontal porque ela duplicada não tem choque frontal, que é o tipo de acidente de maior gravidade", disse o governador Geraldo Alckmin.

Além das obras de duplicação especificamente, a intervenção irá englobar as implantações de um dispositivo de acesso em desnível para o município de Itirapuã na altura do km 11,1; de dois dispositivos de retorno nos kms 13,95 e 16,1, ambos na altura de Patrocínio Paulista, e de nova ponte sobre o Rio Sepucaizinho, no km 18,8, também em Patrocínio Paulista.

Entre os benefícios para a região estão o aumento na capacidade de tráfego, ampliando o conforto do usuário e o fluxo de veículos. Também aumentará a segurança viária, um dos objetivos do Governo do Estado, como destaca o governador: 

"Nas rodovias concessionárias do estado nós tivemos uma redução de 23% de mortes no ano passado. Isso é muito importante porque houve uma redução de mortes de quase 1/4 nas rodovias concessionadas". 

A duplicação da estrada é uma das principais ferramentas para a redução de colisões frontais e laterais, que ocorrem durante a realização de ultrapassagens indevidas, e traseiras, ocasionadas pela distração dos motoristas em casos de freadas bruscas, por exemplo.

A intervenção será realizada pela concessionária Autovias, com verba proveniente do pedágio, e  terá fiscalização e gerenciamento da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).




Artigos Relacionados