Cruzeiro abre negociação para assumir comando do Estádio Mineirão

Ofício de intenção foi enviado ao Governo sobre a revisão do contrato de cessão

Postado em: em Esportes

Mineirão


A relação entre Cruzeiro e Minas Arena, administradora do Mineirão, nunca foi tranquila. Em diversos momentos houve atritos, ameaça de quebra de contrato e outras questões que não se resolveram só na conversas. 

O clube celeste acredita que o Mineirão deveria estar sob o controle do Cruzeiro e iniciou uma tentativa de assumir a administração do Gigante da Pampulha. Há três meses, a Raposa entregou um ofício ao governador Fernando Pimentel (PT) formalizando o pedido e rever o contrato com a Minas Arena e viu que o Estado pode atender a demanda cruzeirense. 

A diretoria do Cruzeiro vai seguir com as negociações com o novo governador, Romeu Zema, do Partido Novo. 

O vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, explicou os motivos do clube em querer reaver o Mineirão. 

- Há três ou quatro meses, procuramos o governador atual, Fernando Pimentel, e entregamos a ele um ofício no qual informava que o Cruzeiro queria administrar o Mineirão. Nós temos que entender que show no gramado não combina. Se você olhar os últimos jogos do Cruzeiro, achamos estaca de madeira no estádio durante o aquecimento dos jogadores. O cara vai ao show e urina ali. Gramado com cheiro de urina. O Mineirão é um patrimônio do futebol. Show faz lá fora, na esplanada, mas não no gramado. O Mineirão, queira ou não, apesar de ser do governo, é realmente a Toca 3. O torcedor do Cruzeiro se identifica com o Mineirão, disse.

O dirigente crê ser melhor tentar administrar o Mineirão, onde jã há uma identificação, do que construir uma nova arena. 

- Nada mais justo que, em vez de construir um estádio, o Cruzeiro administrar e fazer um comodato com o Mineirão. É disso que estamos atrás. Numa reunião há 30 dias com a Minas Arena eu comuniquei isso, para não acharem que o Cruzeiro está trabalhando por trás, disse que o Cruzeiro está sim trabalhando para assumir o Mineirão. Juridicamente, teria que resolver como fazer. Mas digo que só não há jeito para a morte. Para o resto tudo tem. Para Minas Gerais, o Cruzeiro administrar o Mineirão seria espetacular, explicou.

O contrato com a Minas Arena, uma Parceria Público-Privada, foi assinado em dezembro de 2010 no valor de R$ 677.353.021,85, na modalidade de concessão administrativa. O prazo de vigência do acordo é de 27 anos, terminando em 2037, com a previsão de prorrogação contratual até 2045. Para entregar a gestão do estádio ao Cruzeiro, porém, o governo teria e reembolsar a minas Arena, que gastou R$ 600 milhões na reforma do Mineirão. 


Artigos Relacionados