Cromoterapia se mostra eficaz e atrai das pessoas por tratar várias doenças

Cores atuam no corpo nos 7 centros de energia que ficam localizados ao longo da coluna vertebral

Postado em: em Mais+

As cores têm forte influência sobre a vida das pessoas. O que nem todo mundo sabe é que elas podem ser utilizadas para tratamento ou prevenção de doenças. “A cromoterapia, conhecida também como terapia das cores, é uma técnica empregada na medicina alternativa cujo objetivo é a cura de certas enfermidades por meio do uso das cores. É uma terapia complementar e de autoconhecimento que utiliza a energia luminosa das cores para trabalhar a energia vital”, explica a terapeuta holística Simone Arroio Costa.

Ela explica que os antigos povos do Egito, Grécia e Roma já relatavam e aplicavam as influências das cores sobre os humanos. "Eles foram os primeiros a utilizar a cromoterapia", diz Simone, que acredita que essa terapia esteja ganhando cada vez mais adeptos porque todos estão em busca de equilíbrio. “A cromoterapia busca restaurar locais disfuncionais e restabelecer o bem-estar; não busca curar ninguém de imediato, mas estimular o poder de cura do próprio corpo e das células para que restaurem o bem-estar do organismo”, completa. 

As cores atuam no corpo, mais especificamente nos sete centros de energia que ficam localizados ao longo da coluna vertebral, conhecidos como chakras, fortalecendo e equilibrando os órgãos do corpo. Afinal, acredita-se que um órgão saudável é uma energia reluzente, enquanto um órgão que não é sadio é carente de brilho e luz. As cores agem diretamente nessas partes do corpo, com o objetivo de harmonizá-las.

A cromoterapia tem como base as sete cores do arco-íris: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, índigo e violeta. Cada cor tem uma vibração diferente. O vermelho possui uma frequência intensa, enquanto o violeta é uma cor fria, menos intensa. “A prática na cromoterapia consiste na aplicação da luz em uma parte específica do corpo, com o uso de lâmpadas coloridas”, explica a terapeuta holística, acrescentando que a cor utilizada dependerá do diagnóstico do paciente. Por exemplo, em uma pessoa ansiosa é aplicada a cor azul, porque tem propriedade tranquilizante e, também, analgésica. Em alguém com depressão a cor utilizada poderá oscilar entre o laranja, amarelo e o vermelho. Essas são cores revigorantes, que estimulam a circulação e liberam a adrenalina.

Na prática

Além do vermelho e azul são usados o amarelo, laranja, verde e índigo na cromoterapia. Cada cor possui uma vibração específica e uma capacidade terapêutica. “É uma terapia baseada nas cores do arco-íris, que trata tanto o emocional quanto físico”, reforça Simone.

Até chegar a essa terapia, a assistente comercial Luciene Bernardo de Souza, 37 anos, vivia à base de remédios para controlar os efeitos nocivos da TPM – Tensão Pré-Menstrual. “Tinha muita enxaqueca e crises de ansiedade e desde que passei a me submeter à cromoterapia, reduzi o uso de remédios e me sinto muito melhor”, garante Luciene.

Segundo Simone, muitas doenças que afetam o homem têm sua origem na aura, ou seja, as doenças se estabelecem primeiramente nos corpos emocional e psíquico (mental), que mais tarde podem somatizar, causando a doença no corpo físico. “A cromoterapia não trata apenas os sintomas, ela dirige-se à causa do desequilíbrio energético, ou seja, ela atinge o campo energético dos órgãos e sistemas”, garante.

A cromoterapia é indicada para tratar doenças como anemia, asma, ansiedade, bronquite, bronquite, azia, dor de cabeça, irritabilidade, insônia, dor de garganta, entre outras.


Artigos Relacionados