Cristais Paulista: Miguel Marques prefere renúncia na disputa a vice-prefeito

Político abre ampla discussão e partido de Márcio Murari busca reconstruir apoio sólido na disputa eleitoral

Postado em: - Atualizado em: em Cidades

​Aliado ao prefeito Gilson de Souza, em Franca, e eleito prefeito em Cristais Paulista por três mandatos, o político Miguel Marques - que teve a candidatura a vice-prefeito na chapa do delegado de polícia, Márcio Murari, indeferida no dia 24 de outubro, preferiu tomar uma decisão drástica a recorrer da sentença judicial eleitoral: renunciou da disputa eleitoral.

O pedido foi protocolado no cartório da 240º Zona Eleitoral, que envolve os municípios de Cristais Paulista, Ribeirão Corrente, São José da Bela Vista e Restinga.

No documento entregue ao cartório eleitoral, Miguel Marques explicou que a renúncia a disputa de vice-prefeito na chapa de Marcio Murari, foram por questões pessoais.

Muito querido na cidade, Miguel Marques foi penalizado severamente pela Justiça por questões que a própria cidade (Câmara Municipal e Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) detectaram irregularidades em suas contas quando era prefeito de Cristais.

Tanto ele, quanto outros políticos do Município, amargam ainda duras situações e, na política a questão acaba sendo um divisor de água, principalmente para a questão da legalidade e outros princípios.

Miguel Marques, que passou por sérias tempestades pessoais nos últimos meses, tentava se reestabelecer politicamente auxiliando o delegado Márcio Murari, pessoa de estreito relacionamento e muito bem quisto pela comunidade.

Na decisão eleitoral o que mais pesou foram as contas rejeitadas por irregularidade insanável que configura ato doloso de improbidade administrativa, por decisão irrecorrível proferida por órgão competente.

Desta forma incide na espécie a inelegibilidade descrita na alínea “g”, do inciso I, do art. 1º, da Lei Complementar nº 64/90 em relação ao postulante ao cargo de Prefeito, o Sr. Miguel Marques, pelo que deve ser acolhida a impugnação do Parquet Eleitoral.

Ante o exposto, foi julgado procedente a Ação de Impugnação de Registro de Candidatura ajuizada em desfavor do postulante e, em consequência, teve indeferido o pedido de registro de candidatura em razão do reconhecimento da inelegibilidade nos termos acima expostos, e por consequência indefiro a chapa da Coligação "Cristais Merece Muito Mais, ponderou o Ministério Público, autor da proposta.

Corrida​

A situação abalou indiretamente a candidatura de Marcio Murari, que reuniu com sua bancada de apoio ainda nesta segunda-feira para tentar de uma certa forma "tapar esse buraco".

Alguns nomes surgiram, mas ainda muitos deles estavam na expectativa de que Miguel fosse continuar na disputa, pois tinha a vontade de recorrer judicialmente.

Mas, no final da tarde, a decisão de Marques atendeu sua própria vontade: apresentou o pedido de renúncia da candidatura.

E, agora cabe ao grupo de apoio de Murari encontrar um nome à altura que possa substituir a vaga de Miguel Marques.

Surgiram os nomes de Lourival Inácio, Marcinho do Trânsito, Hélio Kondo e mais duas pessoas que estavam sendo sondadas.

Essa situação dá um fôlego à candidatura de Katiuscia Leonardo - atual prefeita de Cristais Paulista - que luta pela sua reeleição.


Artigos Relacionados