Coronavírus: farmácias das Forças Armadas do Brasil vão produzir cloroquina

Medicamento vem sendo anunciado por Bolsonaro, mesmo sem eficácia científica comprovada

Postado em: em Saúde

O ​presidente Jair Bolsonaro anunciou que os laboratórios das Forças Armadas foram acionados para reforçar a produção da cloroquina, remédio usado no tratamento da malária e que atualmente encontra-se em fase de testes em vários países quanto à eficiência no combate ao novo coronavírus.

A expectativa era de que o Ministério da Saúde definisse uma posição quanto ao uso de cloroquina nesta quarta-feira, 25, o que ainda não havia ocorrido até às 14h30. 

A pasta mantém parceria com a Universidade de Harvard, Oxford e com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) da Bahia para avaliar a eficácia dos medicamentos.

O subchefe de Articulação e Monitoramento da Casa Civil, Heitor de Abreu, também responsável por coordenar o comitê de crise, disse que vários laboratórios, incluindo os das Forças Armadas, estão empenhados na produção de medicamentos e insumos.

“Uma ação sinérgica de todas as possibilidades de fabricação de cloroquina e outros medicamentos que o Ministério da Saúde nos orientar para que seja feito. Toda essa parte de insumos, de medicamentos farmacêuticos, a gente segue a diretriz do Ministério da Saúde”, informou.

“A partir daí a gente chama os laboratórios e identifica: capacidade de produção e a possibilidade de produção daquele medicamento ou insumo que vai apoiar o enfrentamento da Covid 19”, completou.

*Metrópoles


Artigos Relacionados