Combinar antibióticos pode alterar sua eficácia, é o que mostra estudo

A eficácia pode ser alterada combinando-os uns com os outros ou mesmo com outros tipos de medicamentos

Postado em: em Ciência

A eficácia dos antibióticos pode ser alterada, combinando-os uns com os outros, medicamentos não-antibióticos ou mesmo com aditivos alimentares. É o que diz um estudo publicado na revista "Nature" nesta quarta-feira, 04 de julho.

Dependendo da espécie bacteriana, algumas combinações impedem que os antibióticos trabalhem em seu pleno potencial, enquanto outros começam a combater a resistência aos antibióticos, relatam os pesquisadores.

Na primeira triagem em larga escala de seu tipo, os cientistas traçaram cerca de 3.000 combinações de drogas em três diferentes bactérias causadoras de doenças.

A pesquisa foi liderada por Nassos Typas do Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL).

Superando a resistência aos antibióticos

O uso excessivo e uso indevido de antibióticos levou a uma resistência generalizada aos antibióticos. Combinações específicas de drogas podem ajudar no combate a infecções bacterianas resistentes a múltiplos medicamentos, mas são amplamente inexploradas e raramente usadas em clínicas.

É por isso que no estudo atual, a equipe estudou sistematicamente o efeito de antibióticos emparelhados entre si, bem como com outros medicamentos e aditivos alimentares em diferentes espécies.

Enquanto muitas das combinações de drogas investigadas diminuíram o efeito dos antibióticos, houve mais de 500 combinações de drogas que melhoraram o resultado do antibiótico. Uma seleção desses pares positivos também foi testada em bactérias resistentes a múltiplas drogas, isoladas de pacientes de hospitais infectados, e foi verificado que melhoraram os efeitos dos antibióticos.

Vanilina clínica

Quando a vanilina - o composto que dá à baunilha o seu sabor característico - foi emparelhada com um antibiótico específico conhecido como espectinomicina, ajudou o antibiótico a penetrar nas células bacterianas e a inibir o seu crescimento.

A espectinomicina foi originalmente desenvolvida no início da década de 1960 para tratar a gonorréia, mas raramente é usada atualmente devido à resistência bacteriana que foi desenvolvida contra ela.

No entanto, em combinação com a vanilina, ela pode se tornar clinicamente relevante novamente e usada para outros micróbios causadores de doenças. "Das combinações testadas, essa foi uma das sinergias mais eficazes e promissoras que identificamos", diz Ana Rita Brochado, primeira autora do artigo e pesquisadora do EMBL. Combinações como essa poderiam estender o arsenal de armas na guerra contra a resistência aos antibióticos.

Curiosamente, no entanto, a vanilina diminuiu o efeito de muitos outros tipos de antibióticos. O artigo mostrou que a vanilina funciona de maneira semelhante à aspirina para diminuir a atividade de muitos antibióticos - embora seus efeitos nas células humanas não tenham sido testados, eles provavelmente são diferentes.

Segundo Nassos Typas, as combinações de drogas que diminuem o efeito dos antibióticos também poderiam ser benéficas para a saúde humana: "Os antibióticos podem levar a danos colaterais e efeitos colaterais porque eles também têm como alvo bactérias saudáveis. Mas os efeitos dessas combinações de drogas são altamente seletivos e freqüentemente afetam apenas algumas espécies bacterianas", diz. "No futuro, poderíamos usar combinações de drogas para prevenir seletivamente os efeitos nocivos dos antibióticos sobre as bactérias saudáveis. Isso também diminuiria o desenvolvimento da resistência aos antibióticos, já que as bactérias saudáveis ​​não seriam colocadas sob pressão para evoluir a resistência aos antibióticos, o que pode mais tarde ser transferido para bactérias perigosas."

O estudo

Esta pesquisa é a primeira triagem em larga escala de combinações de drogas em diferentes espécies bacterianas no laboratório. Os compostos utilizados já foram aprovados para uso seguro em humanos, mas ainda são necessárias investigações em camundongos e estudos clínicos para testar a eficácia de combinações específicas de drogas em humanos.

Além de identificar novas combinações de drogas, o tamanho dessa investigação permitiu que os cientistas entendessem alguns dos princípios gerais por trás das interações medicamentosas. Isso permitirá uma seleção mais racional de pares de fármacos no futuro e pode ser amplamente aplicável a outras áreas terapêuticas.


Artigos Relacionados