Combate à dengue: Franca mantém ações de alerta em toda a cidade

Operações contínuas são realizadas em todas as regiões da cidade, num intenso trabalho de combate à dengue

Postado em: em Saúde

O número de casos suspeitos de dengue em Franca tem apresentado crescimento nas diferentes regiões da cidade. Com isso, a Prefeitura montou operações contínuas de mobilização com agentes realizaram intenso trabalho durante o final de semana e que continuarão nos próximos dias. 

Enquanto na região Sul, envolvendo os Jardins Aeroporto 3 e Santa Bárbara, viaturas realizaram pulverizações com inseticida, em outros dois setores outros grupos faziam um trabalho diferente mais centrado com o mesmo objetivo: diminuir os riscos de infestação do mosquito.

Nesse esforço, a Prefeitura atua com equipes da Vigilância Sanitária e também da Secretaria de Serviços e Meio Ambiente.

Com o Arrastão da Limpeza, equipes percorram e recolheram mais de 40 toneladas de inservíveis nas regiões Leste e Nordeste. Na Vila Santa Terezinha, Jardim Redentor, Parque do Horto e adjacências os agentes comunitários e de vetores visitaram centenas de residências levando informações, vistoriando ambientes nos quintais e mesmo no interior das moradias.

Na Vila São Sebastião, Jardim Martins e Parque Continental ações idênticas também foram feitas com o mesmo propósito, revelou o veterinário José Conrado Dias Neto, membro da equipe da Vigilância Sanitária. “Os moradores precisam colaborar. Do contrário, todo o esforço pode ficar comprometido. Entre as recomendações estão reservar pelo menos 10 minutos por semana para limpeza de calhas, caixa de água, varredura dos quintais, nas vasilhas com flores ou plantas ornamentais e a troca diária de água das vasilhas de animais.”

Os números contabilizados pela Vigilância Epidemiológica continuam ainda os mesmos da última sexta-feira, 25 de janeiro, com 560 registros suspeitos e 24 autoctones. Nos locais onde é feito o ‘fumacê’ , com a pulverização de inseticida, os moradores devem abrir as portas e janelas para a fumaça entrar nos ambientes para que os mosquitos que estiveram voando possam ser mortos.

Esse trabalho continuará sendo feito em outras áreas da cidade, lembrando que já ocorreu nas regiões do Aeroporto, na Vila São Sebastião, Santa Efigênia e Santa Maria, além de setores do Brasilândia. Junto com esse esforço contínuo, como recomendou um membro da Vigilância, a população precisa se manter em alerta e também fazer a sua parte.


Artigos Relacionados