Com 433 mil famílias na fila, governo tira verba do Bolsa Família: "não fará falta"

A maioria dessas famílias que espera liberação, está nas regiões mais pobres, no Norte e no Nordeste

Postado em: em Economia

O governo tirou R$ 83,9 milhões do Bolsa Família e remanejou a verba para a área de publicidade federal.

A justificativa dada na noite desta quinta-feira, 04, é que nenhum beneficiário do Bolsa Família foi prejudicado porque o pagamento a esse grupo está sendo feito com verba do auxílio emergencial, que vem de outra dotação no Orçamento.

Entretanto, o país tem 433 mil famílias aptas a receber o benefício do Bolsa Família, mas que ainda aguardam a liberação, segundo informações da Folha de S.Paulo obtidas a partir da Lei de Acesso à Informação. 

A maioria dessas famílias está nas regiões mais pobres, no Norte e no Nordeste.

O Ministério da Economia afirma que o remanejamento do Bolsa Família foi aprovado pela Junta de Execução Orçamentária para recompor o orçamento da Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), cuja verba tinha sido diminuída pelo Congresso Nacional durante a tramitação do Orçamento Geral da União de 2020.

Antes de remanejar R$ 83,9 milhões, o Ministério da Economia já havia retirado R$ 11,4 milhões do Bolsa Família para ampliar as dotações do Sistema Nacional para Identificação e Seleção de Público-Alvo para os Programas Sociais do Governo Federal – Cadastro Único.

A pasta informou que fará remanejamentos semelhantes nos próximos meses para despesas prioritárias. 

O processo seguirá as projeções do Ministério da Cidadania para não prejudicar nenhum beneficiário do Bolsa Família. 

O governo não comentou sobre a inclusão de novos beneficiários ao programa.

*6Minutos

(Com Agência Brasil)


Artigos Relacionados