Semana de Brahms - 07 de maio de 1833

Postado em:

Vamos falar de realidade!

E ninguém melhor do que Brahms e sua biografia para testemunhar a realidade dura para se conseguir ser músico em qualquer tempo e lugar.

Nascido em Hamburgo, na periferia, morando num cortiço com várias outras famílias, Johannes Brahms tinha uma flauta doce que era seu único instrumento. Seu pai, Jacob, músico, tocava no cais do porto mas recebia apenas alguns trocados que não davam para sustentar a família que estava passando necessidade.

Como Johannes Brahms ouvia o sr Fritz passando com o realejo na rua e prestava muita atenção às músicas que ele tocava, subia correndo para o cortiço e com sua flauta doce reproduzia os sons que tinha ouvido.

Seus pais vendo isso perceberam que o menino demonstrava interesse pela música e trataram de conseguir aulas de piano para ele. O menino atravessava a cidade para ter aulas com o Prof Cossel. Andava por duas horas e tinha aulas todos os dias. Seu progresso foi rápido.

Certo dia, quando abriu a janela percebeu o Grande Incêndio de Hamburgo e ficou apavorado porque não poderia ir à aula de piano, mas encontrou uma solução, foi caminhando por outras ruelas e neste momento encontrou uma fábrica de pianos. Curioso, entrou e o dono da fábrica o convidou a tocar. Todos os funcionários aplaudiram e ele passou a estudar neste local.

Há 185 anoschegavaao planeta Terraeste, que deixou uma obra maravilhosa, hoje conhecida no mundo todo.

Vivia num cortiço, periferia, sem dinheiro, sem instrumento, e conseguiu com seu esforço e ajuda de algumas pessoas, setornar um grande compositor mundialmente conhecido.

Quando ouço as pessoas dizerem queprecisa ‘ nascer com o dom ‘ para ser músico, eu digo em seguida : precisa ter perseverança. O dom é apenas um detalhe.

E neste mundo onde as pessoas reclamam das dificuldades, a música chega imperiosa na vida daqueles que querem agarrar uma oportunidade e fazer a diferença no mundo, mas a música é recado de alma para alma , o dinheiro é difícil de ser conquistado se a intenção musical for realmente sublime. Mas nada é impossível.

Vamos ouvir um pouco de Brahms nesta semana de seu aniversário !

E homenageá-lo especialmente agradecendo a ele pelas melodias maravilhosas que nos deixou !

Agradecer pelo exemplo de vida !

Agradecer pelo testemunho que deu ...

Dica PARA AS MAMÃES NESTE DIA DAS MÃES : filme SONATA DE AMOR – A vida de Schumann, sua esposa e pianista Clara e seu amigo BRAHMS.

Clara Schumann teve 7 filhos , foi pianista, concertista, e quando a música fala alto no coração tudo é possível ! Vejam o filme !

Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

A CIÊNCIA É LINDA! CIÊNCIA & MÚSICA! CIÊNCIA É MÚSICA. MÚSICA É CIÊNCIA!

PARKINSON E MÚSICA E OUTRAS REFLEXÕES

Postado em: - Atualizado em:

​INICIO COM ESTE VÍDEO... Ele é tudo!



PITÁGORAS​


https://pt.wikipedia.org/wiki/Escola_de_Atenas

Pitágoras apontando o dedo para o céu e Aristóteles sinalizando com a mão para baixo , para a matéria.

“TEORIA SEM EXPERIMENTAÇÃO É VAZIA E EXPERIMENTAÇÃO SEM TEORIA É CEGA.” Einstein

Biografia:

(https://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A9rgio_Mascarenhas_de_Oliveira)

Citação do Físico Sergio Mascarenhas: “ se você sabe muito da Química mas só sabe Química, você não sabe nem Química”.

Este artigo de hoje tem a proposta de ESTUDO. Vamos estudar? A ciência é linda!

Este físico está abordando sobre a CURA DA DOENÇA DE PARKINSON ATRAVÉS DA MÚSICA.

Tudo o que eu disser a respeito deste vídeo não chegará aos pés do raciocínio que ele foi construindo passo a passo mostrando o Universo do conhecimento.

Muitas pessoas pensam que sou apaixonada por música e que todo apaixonado é cego e só enxerga aquilo. Digamos que isso tem sua verdade, mas que só os apaixonados descobrem a beleza da paixão e realizam ou fazem loucuras!

Então, de repente caiu minha ficha sobre um teste vocacional o qual fui submetida em 1973 aos 15 anos de idade.

Foram DOIS DIAS intensivos de testes. Muito cansativo, mas fui analisada até do avesso. Foi maravilhoso. E só hoje, em 2018, estou entendendo verdadeiramente as opções do resultado : em primeiro lugar CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Em segundo lugar Matemática . Em terceiro lugar BELAS ARTES.

Antigamente quando entrávamos no Ensino Médio, antigo Colegial, tínhamos que optar por matérias humanas ou exatas. E eu gostava das exatas, mas meus pais tiveram dúvida e me submeteram a este teste vocacional – para fins pedagógicos- avaliando qual seria a minha tendência profissional.

Quanta saudade daquele tempo em que os profissionais levavam muito a sério estas questões. Este profissional era irmão de uma antiga professora que tive na 2ª série do Colégio Nossa Senhora de Lourdes, a querida Dona Lourdes. Ele vinha de São Paulo para fazer este trabalho aqui. Conceituadíssimo. Hoje compreendo seus resultados.



Juntamente com este resultado entregaram outras folhas as quais não tive acesso, somente meus pais. Lembro-me que eu tinha medo de entrar naquele sobrado, na parte de cima , ficar lá naquele silêncio fazendo testes atrás de testes, escrevendo, pensando, calculando, etc, e aquele homem me observando com um relógio nas mãos. Mas fui. Minha obediência sempre foi maior que qualquer coisa. E depois de estar lá a curiosidade veio tomando conta e eu queria saber onde ele iria chegar com aquela bateria de testes por 2 dias inteiros.

Era algo caro, custava bastante para fazer estes testes. O profissional vinha de São Paulo. Mas meus pais não mediam esforços para a questão EDUCAÇÃO , escolha profissional e oportunidades. Pagavam todos os cursos extra-curriculares, investiam mesmo em nosso futuro, porque eles não tiveram muitas oportunidades e queriam nos oferecer o máximo que podiam.

Mas voltando à primeira opção do teste : CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. Compreendo hoje porquê sou tão curiosa, inquieta, porquê pergunto tanto e questiono tanto o aprendizado, a didática, os remédios, e procuro sempre saber tudo o que está acontecendo dentro de mim para poder tomar um remédio. Já fui muito criticada por médicos dizendo que fico me metendo onde não devo. Hoje, somente hoje, depois desta palestra do Prof Sérgio Mascarenhas, me deu um clic ... eu deveria ter sido CIENTISTA. Eu amo a ciência , me matriculei num MBA sobre NEURO-APRENDIZAGEM, estudo os efeitos da música no cérebro desde 1996 aplicando em sala de aula e observando resultados. Fiz uma pesquisa juntamente com a TIA SU do Colégio Objetivo, sobre a música de Mozart nas provas de Mátemática quando saiu aquela pesquisa sobre o Efeito Mozart.

E assim, esta minha inquietude que incomoda tantas pessoas, se deve ao resultado do teste vocacional :Ciências Biológicas em primeiro lugar, a Matemática entrando como racional em segundo e Belas Artes incluindo a música em terceiro.

Ora, ora , ora ... com 61 anos venho agradecer a este profissional que me dá a oportunidade de me conhecer melhor. Não, não pude seguir a profissão que eu havia escolhido . Meu pai faleceu no ano que eu prestaria vestibular para Psicologia . Minha primeira opção era fazer MUSICOTERAPIA. Acho que eu estava certa. Fui até o Rio de Janeiro onde morava uma amiga, para conhecer a Faculdade de Musicoterapia. Confesso que fiquei assustada. A CIÊNCIA DA MUSICOTERAPIA era utilizada somente com doentes mentais. E eles eram agressivos e eu desanimei ali. Era o único campo para musicoterapia da época.

Mas assim mesmo, não teria condições financeiras para sair de Franca. Muito menos emocionais porque minha mãe era totalmente dependente. Meu pai falecendo, de certa forma algumas tarefas ficaram para eu fazer com 18 anos. Meu irmão estudava em São Paulo. Minha irmã tinha 12 anos. Fui a escolhida pelo destino para permanecer aqui.

Interessante que no teste apareceu que atividades de escritório foi minha nota mais baixa. E eu prestei um concurso no INPS da época e passei em 3º lugar no Estado de SP. Iria ficar fechada num escritório batendo máquina de escrever. Não fui e esta foi a grande cobrança que recebi de minha mãe a vida inteira : um emprego público, seguro, ganhava bem e eu não quis ir . Tinha 18 anos e passaria a vida fechada num escritório atrás de uma máquina de escrever. É só olhar no teste vocacional e ver que eu não conseguiria. Ainda bem que ‘ desta vez desobedeci.’

Então, meus queridos amigos, a CIÊNCIA explica tudo, está em constante evolução, é fascinante, está aliada à música – que também é uma ciência – e convido todos vocês a estudarem através deste vídeo que desencadeou explicações tão importantes.

BOM VÍDEO A TODOS!

https://www.facebook.com/mariaangela.pires/videos/1885265978170989/

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos. 

PAIXÃO E DISCIPLINA

Postado em:

Já que nas assessorias a professores tem aparecido casos parecidos de comportamentos familiares que ajudam ou atrapalham o estudo de uma criança ( no nosso caso estudo de piano), vamos comentar um caso hoje sem detalhar nomes.

“ Tenho uma aluninha de 6 anos de idade super ativa, não consegue parar quieta e a mãe reclama que não consegue mantê-la ocupada, sendo assim resolveu colocar nas aulas de piano para ver se ela se acalma e obedece mais. A garotinha muito curiosa adorou as aulas, viu o piano e já foi perguntando tudo sobre ele, queria explorar os sons graves e agudos, já ensinei alguns divertimentos para tocar nas primeiras aulas e ela dominou de primeira. Muito bem! Esta menininha foi só progredindo, até que a mãe dela começou a COMPETIR com ela. Começou a choramingar quando chegava e dizia que ela (mãe) não teve oportunidade de estudar piano e que a filha teria a vida toda pela frente. Isso me chocou, achei que a mãe queria tomar o lugar da menina nas aulas. Vizinha à casa dela tem uma escola de música. Indiquei que se matriculasse lá, porque vi que juntas ali não daria certo, pela competição que já existia. Pois bem, elas não tinham piano. Ajudei-as a encontrar um piano usado mais barato para que pudessem aproveitar. Conseguiram comprar o piano mas assim que a compra foi feita, a mãe tirou a filha das aulas porque disse que ela teria muito tempo pra estudar piano, era nova e que a mãe iria ser autodidata e estudar em casa, portanto saiu da escola de música que frequentava. Com outros detalhes, levei o caso para um psicólogo meu amigo que faz as análises de alguns casos. A conclusão foi a seguinte : a mãe teve infância pobre, foi privada de muitas coisas, inclusive oportunidades de estudo, é intelectual , gosta de cultura, colocou a filha no piano só pra acalmá-la já que ela era hiperativa.Esta mãe não iria apoiar os estudos da filha, primeiro porque o objetivo era que a criança ficasse mais calma e obediente. Segundo porque a mãe queria preencher a lacuna de infância- não ter um piano, não ter estudado. Conseguiu comprar, conseguiu se alfabetizar , fechou o piano e ficou olhando para o móvel conquistado.”

Depois deste depoimento fomos acalmar a professora que alfabetizou a criança e se sentia muito triste porque a criança adorava as aulas e a mãe a castigou tirando-a porque ela não estava mais tão obediente em casa. A vida de um professor de piano é lidar com estes conflitos, por isso, precisamos sempre nos atualizar na PSICOLOGIA, na forma de entender o ser humano, porque os pais muitas vezes tem objetivos ocultos que não são de ensinar um instrumento à criança, mas satisfazer às suas próprias frustrações e quando percebem a criança feliz, se vingam. É algo doentio, mas acontece.

A frase: -“é para o seu bem que estou fazendo isso” tem nos assustado, porque a quantidade de casos de punição e ‘ tortura emocional’ através dos estudos, mostram o quanto os adultos não estão preparados para serem pais.

Algumas frases de outros professores que fazem parte do Grupo de apoio à Didática do Piano:

- Filha, não precisa estudar em casa, é só ir às aulas de piano que está bom assim. Você não queria estudar piano como suas amigas ? Então, já coloquei numa escola, agora não precisa ficar estudando todos os dias. Tem as matérias da escola ...

- Já falei pra ela que 15 minutos por dia está ótimo, porque o barulho do piano cansa minha cabeça, fica tocando este piano por quase uma hora na minha cabeça, me atordoa...(heim?)

- eu quero matricular meu filho pra acrescentar ao Kumon, então ele terá somente aulas teóricas de piano, para aprender a raciocinar! (o que? A mãe decide o que o professor de piano vai ensinar? E como ensinar?)

- estou pagando as aulas pra você meu filho,mas quero resultado toda semana, sem erros, pra tocar no culto (como se o adulto fizesse isso... e ainda estipula que a criança está fazendo o curso para tocar no culto)

- não quero saber se você gosta ou não gosta do piano, é obrigado a fazer, porque quem sabe o que é melhor pra você sou eu. (criança de 4 anos ouvindo isso).

Excluindo os mi mi mis de alguns que acham que aprender a tocar um instrumento é só deleite e alegria , e não querem colocar ritmo de estudo ou rotina para o filho estudar porque tem que ser bem leve, pontuamos os extremos.Gente que não está se importando com o estudo, achando que acontece por osmose e gente torturando crianças por causa de suas próprias frustrações.

Dou razão a todas as angústias apresentadas por professores. Acredito que o ideal seria uma escola que tivesse psicólogo disponível para pais e alunos, mas um psicólogo que tivesse conhecimento de causa, desde criança, que tenha estudado um instrumento, como no CONGRESSO DE MEDICINA DO MÚSICO que assisti , onde todos os médicos e profissionais da saúde eram também músicos e palestravam para músicos. CONHECIMENTO DE CAUSA, EXPERIÊNCIA própria . É disso que estamos falando. E que tenham tido sucesso em seus estudos, porque profissionais frustrados carregam a ideia de que ‘ sofreram ‘ pra estudar música e passam isso para uma porção de pessoas!

Quando vejo estas coisas, me lembro dos grandes mestres e suas biografias...

Villa-Lobos queria estudar piano a o pai não permitia. A tia Zizinha que o ajudou a conquistar este sonho.

Brahms teve que mostrar ao pai que tinha talento para que ele pudesse ajuda-lo a encontrar um professor.

Bach ficou órfão de pai e mãe com 9 anos de idade e o irmão o impedia de tocar porque ele tinha as mãos sujas.

Este e outros grandes expoentes tiveram que superar vários obstáculos para o estudo da música. E é assim na vida ... Quando quisermos algo, a única solução é arregaçar as mangas e ir atrás, porque hoje em dia a Educação está em último lugar nas prioridades de muitas pessoas.

Interessante a pergunta que ela faz neste vídeo :

- “me contratam para criar alguma coisa para eles e chegando lá eles me dão regras,ou seja : querem que eu faça algo de acordo com o que já fazem !”

“Ressentido porque suas músicas eram pouco executadas no Brasil, Villa-Lobos costumava desabafar: “Não tive o justo reconhecimento em meu próprio país”. Depois da II Guerra, o maestro iniciou uma turnê pelos Estados Unidos e pela Europa, onde suas peças eram executadas no circuito dos mais prestigiados teatros.” Biografia de Villa-Lobos- por Dilva Frazão.

(GOSTAR DE MÚSICA E TER A DISCIPLINA NECESSÁRIA)

O estudo da música é FONTE INESGOTÁVEL DE ENERGIA E DE PRAZER ! Prof Luiz Senise

É preciso ser apaixonado por música e ter disciplina! Prof Senise RJ. 


*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

DESCOBRINDO O BRASIL!

Postado em:

O estudo dapartitura é YOGA !

Tive uma aluna , professora de Yoga, que viajou muito se aprimorando , se especializando para praticar e dar aulas de Yoga.E antes destas viagens, ela estava aqui tendo aulas de piano e certo dia ela fez um paralelo do estudo da partitura com as técnicas do yoga:

- Isso aqui é Yoga. Tenho que me concentrar, focar, relaxar, observar os mínimos detalhes para que o todo seja expresso com maestria. Cada vez que me sento para estudar piano estou praticando yoga.

E tenho certeza absoluta que se aprofundarmos vamos perceber quantas outras observações e paralelos podemos fazer do estudo de piano , da leitura da partitura com a prática de meditação ou Yoga.

Então vamos descrever por exemplo uma leitura de partitura a grosso modo:

  • Vai se localizar: Você tem duas claves – de Sol e de Fá. ( lado direito e lado esquerdo do piano – agudos e graves)
  • Tem uma informação no início sobre quantos tempos devemos ter em cada compasso. Então vai perceber que há uma contagem a ser feita.
  • A primeira nota está na clave de Sol ou Clave de Fá ? Vai tocá-la com a mão esquerda ou com a mão direita ? Onde está localizada no piano?
  • Esta primeira nota tem um valor. Por quanto tempo vai segurá-la?
  • Com que dedo será melhor tocá-la ? Deve olhar as notas seguintes porque precisa pensar no futuro – os dedos que irá utilizar a seguir, então esta primeira nota tem que ter um dedilhado adequado para que a próxima seja tocada mais facilmente.
  • Tem uma indicação se ela deve ser forte ou fraca? Qual é a dinâmica que está sendo proposta na partitura?
  • Se esta nota foi com a mão direita, vamos ver agora a nota da mão esquerda. O processo é o mesmo... passo a passo anterior.

Bem a grosso modo, podemos ver que NO PRIMEIRO OLHAR, apenas para se localizar no piano e tocar o primeiro som, temos que observar rapidamente 6 itens- em cada mão( temos outros, mas basicamente ficaremos nestes).

APENAS UM SOM. A seguir teremos outras centenas e milhares de notinhas e sons, valores, símbolos diversos como staccato, ligadura, fermata, trinados, e tantos outros adornos que vão dar graça e beleza a esta composição. Vão transmitir eloquência ou paz, tristeza ou alegria,suavidade ou intensidade e por aí entramos num universo vastíssimo de informações para se interpretar uma música.

Além de ser um Yoga ... promover a concentração, relaxamento, foco, disciplina, também irá desenvolver áreas cerebrais de decodificação, e ainda atingirá a área dos sentimentos porque existe a intenção do compositor que precisa ser expressa.

Digamos que uma criança dedique 30 minutos do seu dia para DECIFRAR esta partitura. O que estará acontecendo em seu cérebro e emoções?

Digamos que este estudo irá avançando e logo ela irá dedicar mais tempo a estas partituras, poderá escolher qual partitura deseja , ver qual está no seu nível de aprendizado... Com isso, terá motivação para se superar. E a SUPERAÇÃO é outro item que se desenvolve de forma a que a pessoa nunca desista , apesar das dificuldades.

Outro dia uma colega professora me disse que alguns pais retiram a criança do instrumento quando elas se deparam com alguma dificuldade e então a mãe inadvertidamente diz : “ - ela não está feliz, eu a coloquei no instrumento para ser feliz! “ JESUS CRISTO!!! Felicidade também é encarar desafios, é se superar, é sentir o gostinho da vitória depois do esforço!!!

Fica a dica! Este é o BRASIL QUE EU GOSTO DE VER! Este é o BRASIL que eu quero para o presente e futuro!

Hoje, 22 de Abril quando se comemora o DESCOBRIMENTO, vamos descobrir novas formas de fazer este Brasil crescer!!!




*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

A música como válvula de escape

Postado em:

Na década de 70 quando estávamos em plena ditadura, isso ecoava pelos lares de forma que os filhos tinham que obedecer aos pais sem questionarem o que estava certo ou errado, apenas deviam obediência.

Formou gerações que aprenderam a obedecer, mas tirou-lhes o poder de argumentação porque isso era condenado tanto em escolas como nas famílias.

A música entrou como válvula de escape. Tudo o que não se podia falar às claras, falava-se através das músicas e foram as músicas mais criativas e onde se usavam metáforas das mais inteligentes para expressar o que não se podia.

Hoje, as músicas são diretas , em compensação jogam palavrões, agressividades, todo tipo de revolta ecoando para todos ouvirem. O mundo atual é de pessoas que querem ser ouvidas o tempo todo . Existe no mercado uma vertente de músicas que expõe todas as mazelas do ser humano e aquilo fica ecoando, vibrando no planeta o som da tristeza, da agressividade, da insatisfação, da cólera. Só jogando detritos da pior espécie nos ouvidos das pessoas. A geração que acusa, aponta e se esquece de construir os sons da paz.

Não se obtém a paz disseminando a guerra.

Não se obtém alegria cantando a tristeza.

Não se obtém amor destilando ódio.

Hoje, infelizmente, o número de pessoas jogando pedras para todos os lados é muito maior do que os pedreiros que as recolhem e fazem construções para abrigar pessoas.

A música denuncia quem é a sociedade, quais são os valores, o que existe de mais íntimo no ser humano está ali expressado na música. Ela pode ser fictícia, com fatos inventados mas mostra onde está a imaginação do ser humano.

Outro dia estava ouvindo músicas do ‘ Balão Mágico’ e me chamou a atenção do quanto as músicas daquela época – década de 80 eram mais lentas, as crianças cantavam em grupos, mais lentamente, exalava uma certa pureza nas letras de criança pra criança. Hoje as músicas estão mais aceleradas, mostrando como está o ser humano.

Às vezes fico observando os comportamentos atuais e me vem uma única palavra em mente : os insaciáveis. Quanto mais facilidades tem, mais revoltados ficam, mais querem, mais reivindicam, mais caluniam, mais pedras jogam sem construírem coisa alguma.

Músicas que tem como objetivo ativar a sexualidade por exemplo. São apelativas para este fim. E me lembro do meu pai quando foi me levar ao carnaval em 1975, comprou uma mesa na parte de cima da AEC onde as pessoas se sentavam e ficavam observando o salão lá embaixo onde se dançava em círculos as marchinhas de carnaval.Meu pai fez uma brincadeira comigo e me disse : - tampe os ouvidos e fique olhando as pessoas pularem, o que lhe parece? Não parecem macacos? Veja aquelas pessoas da direita, olha como fazem... veja os outros... não é estranho?

 

Do jeito dele, tentava mostrar que algumas pessoas se comportavam como animais irracionais, queriam mostrar o corpo, fazer uma dança do acasalamento. Mas ele nunca falava diretamente, sempre nos pedia para observar.E contava que na época dele existia o lança perfume que era jogado no salão e ficava um cheirinho gostoso para todos mas ninguém usando indiscriminadamente. O mesmo com as bebidas que deixavam as pessoas alegres mas não a ponto de brigarem ou se indisporem .

O baile de carnaval era uma válvula de escape com controle, como tudo era controlado. Logicamente os excessos existiam mas ainda assim controlados.

Assim como há pudins, risotos, bifes, arroz com feijão, tortas, frutas e uma infinidade de alimentos para todos os gostos, há também a música.

Sempre brinco com meus alunos que a música clássica está fazendo sucesso há mais de 300 anos. Nunca parou de ser tocada, graças a Deus.

E esta música que veio para ficar, transformar, curar, embelezar, transcender, é a música que me salva de todos os graves problemas que a vida preparou como desafio.

É a música que enleva, acolhe, vai nas profundezas do ser onde ninguém consegue penetrar. Ela suavemente entra com seus sons arrebatadores ou suaves e transforma, mexe, remexe, transporta e cura!

Se não fosse o estudo de piano não sei o que eu faria quando meu pai faleceu bruscamente, eu com 18 anos, pronta para prestar vestibular para Psicologia, sair de Franca, no início do ano ele foi embora , tendo um aneurisma fatal. A música preencheu todo meu tempo, ou melhor: o estudo de piano. Estudava incansavelmente todos os dias, Revolucionário de Chopin, estudos diversos de Cramer, Bela Bartok, Haberbier, Bach, Nazareth, a Grande Fantasia Triunfal de Gottschalk e tudo o mais que me dessem eu me jogava no mundo das notinhas, decifrando partituras, e elas amenizavam minha dor, me tiravam daquele mundo cruel e me transportavam para um mundo sonoro abençoado.

Hoje , torço para termos cada vez mais crianças se jogando no mundo da descoberta da música, ocupando seu tempo , horas e horas se dedicando a este remédio para a alma, para o cérebro, para o corpo físico e emocional!

Ernesto Júlio de Nazareth foi um pianista e compositor brasileiro, considerado um dos grandes nomes do maxixe, considerado, desde os anos 1920, um subgênero do choro. É o patrono da cadeira de número 28 da Academia Brasileira de Música.

Louis Moreau Gottschalk foi um pianista e compositor norte-americano. Compôs, entre outras, a Grande Fantasia Triunfal Sobre o Hino Nacional Brasileiro, que dedicou a Son Altesse Impériale Madame la Comtesse d'Eu.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

Mas qual tipo de ensino musical oferecer para a criança?

Postado em: - Atualizado em:

Em Franca temos uma gama de escolas de músicas com as mais variadas propostas.

  • Escola de guitarra e afins
  • Escola de bateria e conjuntos
  • Escola de percussão e música brasileira
  • Escola de canto e vários outros instrumentos com música para terapia
  • Conservatório formal
  • Conservatório com curso livre
  • Aulas particulares de vários estilos musicais e instrumentos
  • Escola de violão e teclado

E se eu for pesquisar e elencar , teremos uma enorme surpresa com a quantidade de profissionais oferecendo a música em suas mais variadas vertentes no Brasil e especialmente em Franca.

Fica aqui uma orientação básica...

1.primeiramente veja quem você tem dentro de casa , qual criança e o que ela quer. Conheça seu filho e observe suas pretensões. Já tive aluna que chegou para estudar piano e gostava de dançar. Orientei a família para trocar o tipo de curso porque ela não conseguia focar no estudo de piano, queria dançar.

2. Você gostaria de oferecer a música nos moldes europeus e asiáticos onde a criança inicia com 2 anos de idade e tem a oportunidade de desenvolver habilidades através de um instrumento musical (geralmente violino ou piano)? Isso funciona como um curso de formação integral. A criança não entra no curso de instrumento porque gosta ou porque tem talento ou porque quer ser músico. Ela entra para desenvolver as inúmeras habilidades que a música oferece. Geralmente se matricula no curso clássico. Futuramente faz a opção para outros gêneros musicais.

3. Ou você quer oferecer a música para que seu filho melhore na timidez , na comunicação com as pessoas, na aceitação de si mesmo? Neste item prioriza-se o emocional , é lógico que a criança vai aprender os conteúdos da música, mas sempre priorizando aquilo que ela foi buscar : trabalhar o seu lado emocional. Temos escola em Franca com profissional especializada em psicodrama e toda sua equipe segue esta linha –digamos , de ajuda no desenvolvimento psicológico.

4. Tem curso para a criança melhorar na Matemática e nada melhor do que a música com toda a sua raiz na matemática para poder desenvolver o raciocínio lógico através da partitura. Também é característica da música clássica desenvolver muito bem este lado.

5. Tem escola que é voltada para a interação dos alunos/família/amigos e tem um trabalho muito bonito descobrindo as aptidões escondidas ou massacradas pela escola tradicional , que vão dar vida àquele aluno.

Geralmente eu indico para onde o aluno que chegou aqui precisa ir. Às vezes não será o que ele procura comigo, ou o que está precisando desenvolver naquele momento. Converso com os pais e indico . Conheço excelente professor de jazz, escola de violão e teclado que une famílias inteiras tocando e cantando, escola voltada à psicopedagogia musical priorizando o emocional, e também escolas clássicasque vão formar profissionais.

No item da Formação de profissionais precisamos ter o cuidado de checar a programação que é oferecida no curso , se é compatível com Conservatórios do Brasil por exemplo. Na internet hoje encontramos as grades curriculares dos conservatórios. Se este aluno fizer um curso aquém do mercado nacional, ele terá perdido tempo , dinheiro, e muito provavelmente precisará começar tudo de novo se desejar um lugar ao sol como profissional. Ou então irá passar adiante com erros, aquilo que recebeu.

O alerta de hoje é: PESQUISE!
  • QUEM É A CRIANÇA E O QUE ELA PRECISA? Ela não sabe decidir. O adulto é que tem que observar , discernir e decidir. Não adianta perguntar para uma criança : você gosta disso ou daquilo ? Ela não tem ideia do que é um curso.
  • QUEM É A ESCOLA OU O PROFISSIONAL QUE VAI MINISTRAR AULAS ? O que ele oferece ? Qual a metodologia ? Tem estrutura adequada ? Qualidade de ensino ?
  • QUAL É A OPORTUNIDADE QUE VOCÊ QUER OFERECER PARA A CRIANÇA? – Desenvolver habilidades ?Desenvolver talento?
  • A criança precisa de ajuda para seu emocional ? Então priorize isso.

O que precisamos SEPARAR é o ENSINO DA MÚSICA COMO FERRAMENTA PARA DESENVOLVIMENTO INTEGRAL, QUE SERVIRÁ COMO PROFISSÃO TAMBÉM, DA MÚSICA POR HOBBY. E aquele que fez um curso somente por hobby precisa entender que para dar aulas precisa buscar conhecimento para tal.

E por último : checar bem se a escola que você pretende matricular seu filho lhe oferece QUALIDADE em todos os sentidos. Informem-se pais ! EDUCAR UMA CRIANÇA É PARA A VIDA TODA. E a Educação Musical é algo tão precioso e sério que pode traumatizar para sempre, ajudar para sempre ou perder tempo e dinheiro.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

Coitadinho do Brahms... “que dó”!

Postado em: - Atualizado em:

https://www.facebook.com/100009440832510/videos/2040932329564775/UzpfSTEwMDAwMDYyODE0ODE1NzoxODQyODE0NjIyNDE2MTI1/

Ah meu Deus .. a CULTURA DO COITADINHO... Pra onde vão levar estas crianças que estão incapazes até de cortar uma unha, pentear um cabelo, amarrar um tênis, pedir uma informação, e por aí vai.

Quando estive na Alemanha, passando peço calçadão tinha um garotinho de seus 11 anos de idade mais ou menos, vendendo suas coleções, miniaturas, CDs, tudo o que pertenceu à sua infância ( ele já se sentia quase adulto)... Então parei e conversei um pouco com ele , comprei um CD de história infantil em alemão. Perguntei a ele onde morava, quem estava com ele, estas coisas ... Ele disse que morava em tal lugar ( um pouco longe dali , umas 15 quadras) , tinha ido sozinho, estendeu uma toalha no chão com seus objetos que trouxe na mochila. Ele mesmo fazia o troco . As moedas ficavam numa caixinha exposta para todos verem. Aquele mundo ideal . Isso foi em 2006.

Independência ! Autonomia!

Visitei as escolas infantis, tanto de maternal até 4ª série como escola de música infantil. A mesma independência aplicada. Crianças tomam ônibus sozinhas, descem na porta da escola com seu material, passam seu cartão magnético, fazem sua entrada, vão para a sala, penduram casacos, mochilas, e pegam seu material. Tudo muito organizado e estimulando a independência.

Ninguém me contou: eu vi. E fotografei.

No parque eu via criancinhas de 1 a 3 anos de idade passeando com as professoras fazendo caminhada para chegar ao local de fazer o piquenique. Fila indiana, ou mãos dadas e caminhando longos trechos a pé. Comentei com uma brasileira que mora lá e ela me disse assim: “- coitadinhos , fico morrendo de pena, eles tem que andar tanto aqui , fazem tudo a pé.” Comentei com a senhora onde eu estava hospedada e ela disse: “- as crianças precisam fortalecer a musculatura quando bem pequenas, exercitarem muito porque quando adultas além de adquirirem o hábito, não sentirão cansaço”.

Johannes Brahms – 1833 – 1897 –Alemanha

Menino pobre que morava num cortiço na periferia de Hamburgo, Alemanha. Com os pais , dois irmãos no 2o andar de um sobrado onde moravam várias famílias.

O pai, músico, tocava contrabaixo no cais do porto. A mãe era dona de casa, cuidava dos filhos.

Brahms com 6 anos de idade tinha uma flauta doce e reproduzia as músicas quando ouvia Fritz chegar com seu realejo pela redondeza.

Pra resumir bem a história e entrar no assunto do ‘ coitadinho ‘- ele tinha aulas de piano com o prof Cossel , do outro lado da cidade e tinha que ir a pé... Caminhada de quase 2 horas para uma criança de 7 anos. Ia e voltava da aula de piano a pé.

Um dia teve o Grande Incêncio de Hamburgo e ele teve que mudar o caminho, passando por um beco encontrou uma Fábrica de Pianos e conseguiu posteriormente estudar ali pois não tinha o instrumento. O dono da fábrica o viu tocando e permitiu que ele estudasse lá.

GARRA, PERSISTÊNCIA, RESILIÊNCIA, FORÇA DE VONTADE, DEDICAÇÃO, FOCO, DISCIPLINA ... Tudo isso vem antes do TALENTO OU DOM para a música ou se não tiver um lado o outro morre.

Pesquise sobre JOHANNES BRAHMS E VEJA O QUÃO GRANDE ELE FOI !

E hoje os pais tem pena da criança porque os dedinhos estão doendo ... porque é difícil aprender notinhas, e esta pena que sentem das crianças os impede de serem pessoas fortes, vencedoras, campeãs da vida!

Reflexões!

O CORTIÇO:

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

VIDA DE MÚSICO

Postado em: - Atualizado em:

Em nossas Fofocas Musicais aproveitamos hoje para contar às pessoas como é a vida de alguns músicos, o que acontece nos bastidores, onde e como atuam, porquê atuam, como a sociedadereage, desde tempos de Mozart.

Hoje sabemos que a música de Mozart desenvolve o raciocínio lógico-matemático. Esta é uma das funções de suas Sonatas. Ao mesmo tempo relaxa e ativa.

Em sua época já contamos como a realeza tratava os músicos, que tinham que vestir o traje de librè ( de escravo)e não era permitido que se misturassem às pessoas da corte. Isso mudou com Mozart, que não aceitou tamanha discriminação.

Os pagamentos então eram ridículos ( como o são ainda hoje para alguns estilos musicais como o de Mozart por ex) . Ele recebia algumas moedinhas em troco de composições maravilhosas entregava à realeza ou à igreja.

Vamos mais longe um pouco, falar do comportamento da humanidade com relação ao dinheiro, esta doença que corrompe toda a atitude nobre e elevada. Jesus ... lembram-se o que ele fez com os vendilhões do templo? Aqueles que montavam suas barraquinhas e só pensavam em vender seus produtos naquele templo? Ele os expulsou chicoteando seus produtos.

O dinheiro em detrimento da fé.

O dinheiro em detrimento da música elevada que cura.

Vendilhões!

E assim hoje continuam a tratar os músicos com desprezo, desdém, querendo mostrar a eles que nada valem, pagando o que é impagável. Estudar UMA, apenas UMA partitura de um chorinho por exemplo leva um tempo tão grande.. são centenas de notinhas, é um trabalho muscular intenso, há que se fazer uma academia de dedos para se estar em forma.

A interpretação de um tango precisa ser fiel ao clima que este proporciona, o mesmo com outros estilos onde o músico precisa transmitir a intenção do compositor naquela música, para que isso chegue às almas das pessoas.

Mozart certa vez escreveu numa carta:- “recebo aplausos, elogios, agradecimentos pela minha música, mas o pagamento não chega e eu passo dias e noites me dedicando a ela.”

No início do ano tive um convite para dar um workshop para crianças sobre a vida de Mozart. A proposta da escola era que iriam publicar e divulgar nas redes sociais, e para todos os alunos da escola. Não cumpriram com o prometido e Mozart mais uma vez ficou esquecido. Fui gratuitamente com o oferecimento de propaganda do meu trabalho. Eu já não dou aulas de teatro mais, porém aceitei para divulgar A MÚSICA. Divulgar também a importância do estudo de um instrumento. Mas recolheram a propaganda que coloquei nas cadeiras. Descumpriram a promessa. Mas isso é coisa da humanidade inconsciente da importância da música.

Esta semana toquei num evento que tratava da violência contra a mulher. Fiz questão de atender ao pedido de uma ex-aluna para apoiar o evento e a esta causa tão importante! A causa da violência doméstica. E a humanidade que continua violentando, agredindo, matando, fazendo as piores violências contra a mulher. Neste mês das mulheres fiz minha parte em música! E timidamente elas chegavam até o piano onde eu tocava para elas no Café de Abertura, na sala de espera para o evento, sorriam, algumas agradeciam, outras comentavam, outras fotografavam , outras filmavam e percebi a sensibilidade da mulher quando ouvem um piano tocando.

Mas noutro evento , desta vez comercial, que visa colocar a mulher no mercado de trabalho com lucros e boas vendas, sucesso financeiro e profissional, relegaram o piano, dispensando o serviço. No Mês da mulher duas atitudes tão antagônicas!Um evento grandioso com centenas de participantes, ingressos caros, palestrantes, uma hora de recepção com café, contratou e descontratou por causa de uma taxa simbólica que foi cobrada. Primeiramente queriam de graça, depois houve o pechinchar justificando o injustificável. Senti vergonha por quem estava desempenhando este papel pechinchador. O preço para tocar 90 minutos era o preço exatamente igual a UM ingresso para entrar no evento que vendeu todos os ingressos e realizaria as palestras num salão que comporta 2000 pessoas. Pelo menos 600 ingressos foram vendidos. É de sentir vergonha . Meu trabalho continua, não será este valor de UM ingresso que irá fazer a diferença na contabilidade, mas fica a mensagem de que ainda precisamos informar às pessoas sobre os efeitos da música num ambiente, o que ela proporciona, o que significa música ao vivooferecendo um repertório com Músicas dos Anos 70,Músicas clássicas, Chorinhos, Tangos, músicas típicas de cada país, etc. Um repertório preparado para a diversidade cultural, com aproximadamente 90 músicas tocadas ao vivo, de alma para almas.

Assim caminha a humanidade...Deixo uma frase de Arthur da Távola quando tinha seu programa “Quem tem medo da música clássica?” abordando sobre a falta de reconhecimento ao músico através de ‘ críticos’ de arte ou críticos do povo:

“- Atentemos a isso: - quem ficou para a História : - o crítico ou o músico?”

E outra frase que marcou foi de Cacilda Becker , a grande atriz quando lhe pediram para ‘ dar uma palhinha ‘ participando de um evento:

-“ Por favor não me peçam para fazer de graça a única coisa que tenho para vender.”

Mas antes de terminar, esta semana além de estes percalços, ainda fui ao estúdio fazer uma pequena participação numa composição de meu filho Eduardo , onde o refrão deste rap diz : “ eu vim pra incomodar” – relatando que a humanidade se cala perante fatos que merecem repulsa, que não agimos quando somos chamados a agir e passamos pelo planeta sugando o que podemos sem contribuir com ele.

Foi uma semana forte, intensa, com várias energias circulando.

Uma delas , um telefonema de um pai querendo aulas para sua filha e numa longa conversa onde preparou um questionário para se informar como funcionam as aulas, só tinham perguntas relacionadas a quanto custa. Quanto custa um teclado, quanto custa um piano, quanto custam as aulas, quanto... quanto quanto quanto custa...Em nenhum momento ouvi a pergunta: - o que será ensinado a ela? O que ela poderá desenvolver neste curso?Ao contrário disso um comentário chocante: - “quero ver se ela tem o dom, acho que a senhora não consegue avaliar numa aula, mas nas 4 aulas do mês, se ela tem o dom porque não tenho dinheiro pra jogar fora, ao mesmo tempo não quero fechar esta porta: pode ser que ela se encontre e tenha realmente o dom.”

Jesus Cristo! Que tristeza ouvir isso... Como já comentei em meus livros: - se a criança tiver o dom ela terá a oportunidade de estudar um instrumento, se não tiver o ‘ dom ‘ não poderá desenvolver –se ? Não poderá ter a oportunidade de fazer um curso pelo tempo que ela precisar para que possa se tornar uma musicista?

E finalizamos com Einstein : - O sucesso é ter 99% de transpiração e 1% de talento ( ou inspiração ou dom).

Olho para trás e vejo o quanto já trabalhei mostrando a utilidade da música, os efeitos que a música causa no cérebro e nas emoções, as infinitas possibilidades de desenvolvimento motor, cognitivo, espiritual, emocional, mas vejo que há tanto ainda para se fazer...

Em contrapartida tenho alunos e pais de alunos conscientes da importância deste desenvolvimento, mas conscientes de verdade. Alunos adultos procurando pelo ensino da música para lhes acrescentar habilidades, enfim, o mundo é feito de gregos e troianos.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

PREFERÊNCIAS E PRIORIDADES

A música dentro do contexto Brasil: preferências e prioridades!

Postado em:

​Vamos pensar sobre este prisma: o que é Educação Integral?

​BRASIL! A PRIORIDADE É A EDUCAÇÃO!EDUCAÇÃO INTEGRAL!

Minha sugestão é que façam intercâmbio com a Europa e fiquem por 30 dias usufruindo do sistema educacional de cursos de verão. Utilizem seu dinheiro para crescerem enquanto pessoas, seres humanos, ao invés de apenas fazerem turismo e pagarem uma fortuna em hotéis, passeios, etc.

Fui para a Europa 4 vezes fazer curso de aperfeiçoamento em piano, um deles foi curso de alemão e o que aprendi não tem dinheiro que substitua.

UM MÊS FAZENDO CURSO NUMA UNIVERSIDADE NA EUROPA É MUITO MAIS BARATO DO QUE SE ALIMENTAR POR 1 MÊS NO BRASIL.

Vamos aos números:

CURSO DE VERÃO NUMA UNIVERSIDADE DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS:

900 EUROS -INCLUI ALOJAMENTO ( KITINET) , CURSO DE ALEMÃO POR 30 OU 60 DIAS NO PERÍODO DA MANHÃ E À TARDE OUTRO CURSO QUE A UNIVERSIDADE OFERECE EM VÁRIAS ÁREAS ( MÚSICA, DIREITO, COMUNICAÇÃO , ETC)

REFEIÇÃO : NO RESTAURANTE DA UNIVERSIDADE QUE TEM DOIS ANDARES COM PISTAS DE FRIOS, CARNES, MASSAS, SALADAS, SOBREMESAS, ETC , VOCÊ ALMOÇA POR 2 EUROS comendo muito bem.

TRANSPORTE :tendo o crachá da universidade, você utiliza o transporte público GRATUITAMENTE.

Estamos falando de números apenas. E o aprendizado que se tem de vida ?

Pessoas se vestem de forma confortável e simples. Geralmente roupas clássicas que não caem de moda. Aliás, não vi a questão moda e vaidade ser valorizada por onde passei . As pessoas estão preocupadas em SEREM MELHORES enquanto pessoas, adquiriremmais conhecimento, conhecerem novos lugares, aprenderem com as diferentes culturas.Vestem-se para se abrigar do frio, do calor, calçados confortáveis para caminhadas...

E aqui neste Brasil a ignorância impera... JUNTAR DINHEIRO PARA LEVAR PARA O CAIXÃO ...

E o povo acompanha ... cada vez mais valorizando o que é supérfluo e ficando cada vez mais vazios.

MASTERCLASSEDE INSTRUMENTO MUSICAL:

150 EUROS COMO OUVINTE PARA ASSISTIR A 3 SEMANAS DE AULAS , PAGAR 3 EUROS EM CONCERTOS À NOITE, ESCOLHER ENTRE FICAR EM CASA DE FAMÍLIA POR UM PREÇO CONVIDATIVO OU CONVÊNIO COM HOTEL PAGANDO 500 EUROS POR 30 DIAS, com direito a uma café da manhã que equivale a um almoço.

Quando se fala em Educação no Brasil se remete à escola, Português, Matemática, História, Geografia, etc.

O Brasil está sendo chacoalhado dentro de um liquidificador, e o suco que vai sobrar disso espero que seja bom, acredito que será.

Quando ouço uma pessoa dizer que não tem dinheiro para pagar os estudos de música, inevitavelmente a análise salta aos olhos sobre as prioridades e preferências.

Lembrando da época antes de Mozart onde o músico era um mero palhaço da corte ou um empregado da igreja, até que ele se mostrou, reagiu, se impôs , desobedeceu, mostrou a que veio, levantou a cabeça e não aceitou se apresentar à realeza com roupa de escravo ( librè).

Num país onde milhões, bilhões e fortunas incalculáveissão retiradas da condição de sobrevivência dos cidadãos, é difícil falar que estes senhores pensem na música como algo sério na vida das pessoas, ou melhor : é impossível que forneçam algo que vá dar consciência, libertação, expressão, etc a um povo que está sendo hipnotizado, massacrado, e que não reage.

PREFERÊNCIAS ou PRIORIDADES ?

Prefiro comprar um fardo de cerveja do que pagar uma aula de música.

Prefiro comprar um sapato novo , me vestir bem e andar apresentável do que investir em estudar... seja qualquer coisa que se vá estudar.

É altamente CORRUPTO, um cidadão que aborda uma escola de música se queixando da vida, das condições financeiras, da falta de dinheiro, do governo, enfim , aquele mimimi sem fim , para pedir desconto num estudo que demorou pelo menos 12 anos para se obter um diploma, e depois vários cursos altamente caros de aperfeiçoamento.

O facebook tem desmascarado as pessoas diaa dia .Na assessoria a professores, vejo o quanto as pessoas tentam levar vantagem sobre um professor de música, porque este, acredita no que faz e quer de toda maneira oferecer o melhor ao aluno, existe um ideal. Além disso é sensível, quem lida com Arte tem uma sensibilidade diferenciada e não é materialista. É onde os ‘ levadores de vantagem’aparecem para em seus discursos ridículos de dificuldade financeira se aproveitarem destes professores, muitas vezes iniciantes que estão tentando se estabelecer na vida como em qualquer outra profissão.

Quando percebo este discurso, já com a estrada longa de 47 anos lecionando, questiono alguns pontos e ofereço a reflexão à pessoa sobre prioridades e preferências.

Mas quando vejo que há necessidade mesmo premente, faço questão de oferecer meu trabalho nas condições mais propícias para aquela pessoa. A vida é uma troca. Assim fosse com todas as profissões, especialmente na área de saúde.

Neste contexto de PRIORIDADES E PREFERÊNCIAS vamos pensar nas crianças do nosso país, que vão cuidar da nossa velhice amanhã. Será que pelo menos pensando assim, possamos oferecer-lhes A EDUCAÇÃO INTEGRAL?


*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

Parecer Pedagógico I

Postado em:

Nas assessorias que ministrei esta semana, o assunto foi extenso em vários momentos sobre COMO DAR UM PARECER PEDAGÓGICO para os pais.

Professores de piano enfrentam no geral alguns problemas , que não são comuns somente no Brasil , mas conversando com 3 professoras brasileiras que trabalham com aulas de piano nos EUA, relataram questões parecidas.

Primeiro:

Um relato de uma professora dos EUA -“ Os pais dos alunos não querem ouvir as outras crianças tocarem. Quando faço uma apresentação de alunos eles simplesmente ouvem o seu filho , se levantam e vão embora sem ouvirem as outras crianças”. Imaginem esta situação. Fico pensando nas últimas crianças a tocar...não terão plateia, somente os pais dela. E precisamos educar para saberem ouvir . Não sei se chamamos de narcisismo, de egoísmo, de falta de educação, de falta de sensibilidade, não sei que nome podemos dar a uma atitude dessa. Lamentável. Saber esperar, saber ouvir, saber apreciar ou respeitar. O mundo da música exige que sejamos plateia e educada. Na Europa este ensino é altamente valorizado, a criança precisa ficar até o final juntamente com a família e ouvir todas as pessoas tocarem.

Segundo:

Um relato de uma professora do Estado do Espírito Santo, a qual faz assessoria pedagógica comigo: - “ Os pais não querem acompanhar as tarefas dos filhos, ao invés disso dão castigos, culpam as crianças, dizem que elas não querem estudar, que não gostam do instrumento, quando na verdade eles não sabem orientar os estudos, apesar das explicações que são dadas.”Este também é um caso comum, quando os pais culpam os filhos ... quando na verdade eles deveriam conversar, ensinar, ter paciência, sentar do lado, apreciar cada evolução por mínima que seja, só da criança conseguir coordenar os 5 dedos para cada um fazer uma coisa diferente já é uma super evolução. Mas não acompanham . É como se de repente colocassem o filho no futebol e depois de algumas aulas já quisessem que ele fizesse todos os gols, ganhasse todas as glórias e medalhas. O processo de aprendizagem fica à margem, desprezado e esquecido.Cada conquista da criança não é vista. Cada nota musical nova que ela aprendeu, cada postura que adquiriu, cada pensamento novo que formulou sobre perseverança por exemplo, nem é considerado, nem é visto .

Terceiro:

O caso de um aluno que chegou doente numa aula com diarreia, vômito e tinha que parar a aula para ir ao banheiro. Sim, claro, ele estava passando mal. Então o professor teve a sensibilidade de entender isso e deixar o aluno à vontade, ofereceu água para repor o que ele perdeu. Mas na semana seguinte o aluno chegou da mesma maneira e o professor perguntou se ele estava tomando algum remédio ou mudou alimentação, ou algum procedimento para melhorar . E o aluno disse que sempre acontece isso com ele e todo mundo já se acostumou.O professor chamou a família e perguntou o que estava sendo feito. E responderam que estavam cuidando direito. E o professor questionou que já fazia uma semana com diarreia e o aluno chegou mais magro. Os pais tiraram o aluno das aulas porque o professor tentou ajudar o aluno pedindo uma postura mais eficiente dos pais para que o menino melhorasse. Parecer pedagógico e psicológico. Ele não poderia esperar a terceira semana para tentar ajudar esta criança...

E por aí vão os pareceres pedagógicos que tentarei compartilhar para que os pais se atentem da importância de seus olhares, da importância de sentir cada pequeno progresso ou fracasso de seus filhos e estarem juntos. O mundo está hipnotizado pela questão de que ‘ vamos levando como podemos’ . Nós podemos fazer melhor !

Ouçam as palestras da PEDIATRA – DRA FILÓ – de Belo Horizonte – fiquei chocada com os pareceres que ela deu sobre casos em seu consultório .

https://soundcloud.com/user-520711638/dra-filo-no-colegio-santo-antonio-2018