Levantando a BANDEIRA na coluna FOFOCAS MUSICAIS

19/NOVEMBRO – Dia da BANDEIRA DO BRASIL. QUE SEJA PELA EDUCAÇÃO

Postado em:

​ALFABETIZAÇÃO

Quando se entra na escola e vai participar de um processo de alfabetização, existem métodos para isso, mas todos eles vão ensinar o ABECEDÁRIO de alguma forma, seja por associação, dedução, raciocínio lógico ou qualquer metodologia que propicie ensinar a pessoa a ler.

Quando se começa a estudar um instrumento musical no aprendizado formal de alfabetização, também é o mesmo caso. Existem informações básicas que serão fornecidas para que a pessoa possa fazer o equivalente a juntar sílaba sozinha, formar uma palavra, uma frase, ler o que está escrito, fazer isso em qualquer momento de sua vida quando se deparar com estes símbolos.

Quando ensinamos uma pessoa a ler notas musicais, estamos ensinando um idioma, que depois, ela poderá utilizá-lo em várias situações.

Existe um processo de alfabetização que consiste em fornecer subsídios para que a pessoa interprete os símbolos, então ela vai aprender o significado de cada um. E isso é um processo que exige paciência, treino, observação, para quando estiver completamente alfabetizada possa  ler estes símbolos em qualquer parte do mundo porque eles vão dizer a mesma coisa:  a leitura de partituras é UNIVERSAL.

Mas o que acontece no Brasil é que as pessoas não esperam uma criança ser alfabetizada e quando ela já toca as primeiras notinhas, começam a pressionar para tocar a música do filme em cartaz, a música da novela, a música que fulano mais gosta, e assim por diante , sem esperar que seja feito o processo de alfabetização por completo. Uma ansiedade extrema em querer ver tocando e a criança se sentindo cobrada o tempo todo começa a desistir, porque está apenas juntando letras para fazer sílabas e as pessoas estão cobrando dela que forme frases em alemão, italiano, inglês, quando na verdade ainda estão entendendo o processo .

É lamentável que não se tenha informação e cultura.  Hoje em dia a pressa, o imediatismo, a cobrança por parte dos adultos, faz uma criança não querer mais continuar, o fardo é pesado. Vejo crianças orientais fazendo o processo de alfabetização com tranquilidade, passo a passo, sem que os adultos queiram exibir o quanto ela sabe antes dela realmente saber.

Chega a ser desanimador quando oferecemos um Mozart, um Beethoven, um Bach para uma criança começar a entender o raciocínio musical daqueles mestres, e ela não ouve em casa, ninguém conhece, não tem acesso e então a criança é colocada num curso de música clássica, mas ouve somente um tipo de música em casa, completamente diferente disso.  Há que se ouvir de tudo, para que se dê cultura àquela criança.  Logicamente, este ‘ de tudo ‘ não estamos falando das porcarias jogadas na mídia dizendo ser músicas, mas que na verdade são verdadeiros lixos.

ALFABETIZAÇÃO É UM PROCESSO!

Precisa de tempo para ser bem elaborado!

Hoje vejo pessoas criticando tudo,  desde a escola, os professores, as regras, a metodologia ,enfim, na frente das crianças os adultos criticam as escolas que eles mesmos escolheram para as crianças. O que esta criança pensa?  “-  Por que estou nesta escola que não presta?  Não vou obedecer ao que me pedem. Não preciso acreditar no que a professora diz.” E por aí vão as mensagens que a criança absorve sobre comentários indevidos e falta de respeito ao que eles mesmos escolheram. Crianças que querem ter amigos na escola e os pais não permitem porque podem ser influenciadas negativamente. Ficam solitárias e desenvolvem comportamentos de fuga e outros.

Alfabetização EMOCIONAL  seria este  caso. A criança está tendo oportunidade de conviver com todas as pessoas a seu redor, e édito a ela que só existe uma perfeição: o seu lar, que muitas vezes está completamente desestruturado.

ALFABETIZAÇÃO  AO PIANO

É inacreditável  o que os adultos fazem com as crianças que estão sendo alfabetizadas nos instrumentos musicais. Em nosso grupo de professores online, trocamos informações sobre a didática, como aplica-la , nossas dificuldades e facilidades. É incrível o que aparece de pais atrapalhando o desenvolvimento dos filhos. Primeiramente a falta de cultura mesmo. Não tem a menor ideia do que seja tocar um instrumento e palpitam como deve ser. Outros, levam os filhos somente para ter a aula da semana e não tem a capacidade de sentar com o filho e incentivá-lo. Outros, só querem modinha ou moda antiga ou a música que eles gostam de ouvir e que o filho aprenda logo, afinal está pagando. Estamos num estado de ignorância lastimável. Outros só criticam a todos e não observam as anotações, dizem não ter tempo. E assim estamos nós aculturados sobre como educar , aculturados sobre música, aculturados sobre todos os assuntos que exijam um pouco mais de estudo, dedicação e firmeza.

Que possamos reverter esta ignorância que está mais forte nas classes com maior poder aquisitivo, porque se ocupam em apenas gastar o dinheiro com superficialidades.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

INTERPRETAÇÃO

Postado em:

Os grandes mestres da música clássica fizeram suas composições com intenções musicais, inspirados de diversas maneiras: ou movidos pelo ardente momento histórico em que viviam, ou pelos sentimentos pessoais, ou por uma inspiração que captaram, enfim são diversos os motivos pelos quais as composições surgiram.

É importante que façamos uma análise quando formos interpretar uma música:

  • Quem é o compositor?
  • Em que época viveu?
  • O que estava acontecendo naquele período?
  • Quais são as características do período?
  • Qual a ideia principal da música?

Isso é condição primeira e básica para se pegar uma peça para interpretar, seja ela atual ou antiga. Não se pode ler notas musicais e tocar todas elas como se digitasse um teclado de computador , apertasse um pedal e fosse tocando tudo da mesma maneira sem caracterizar ou respeitar a intenção do  compositor. Além de ser um desrespeito à ideia, é como desconstruir a cultura.

E quanto mais pudermos deixar nossa ferramenta (mãos) bem afiada , melhor será a interpretação. Dedos que não obedecem, prejudicam a interpretação e então se faz como pode, de qualquer jeito e fica aquela interpretação que chamo de meia – boca. Vamos digitar o teclado do piano.

Seja piano, teclado, violão, violino ou qualquer instrumento, há que se ter um mínimo de conhecimento e de desenvoltura para transmitira a ideia musical. Digitadores de pianos estão entrando no mercado da música fazendo a música comercial. Digitam algumas partituras e algumas pessoas  não sabem e não conhecem algo melhor, acreditam que aquilo é sensacional e é um talento incrível.

Vamos fazer um paralelo nos lembrando daquela moça que cantava a música We Are The World – imitando mais ou menos o som do inglês que ela ouvia , mas estava tudo errado, o som se parecia com a música, mas a letra era aquele desastre. É a mesma coisa ... o som soa como notas de um piano mas a interpretação do que se quer dizer ... é nada. Digitação.

Então, como pudemos ouvir ... e tem outras versões lindas também, o que é incrível é como as pessoas sustentam este tipo de manifestação dita como artística.

Coitado do nosso povo! Coitada da moça que não sabia cantar corretamente e gostava da música!

Coitado do Brasil que é chacota lá fora por causa dessas coisas...

Coitado do brasileiro que não tem EDUCAÇÃO DIGNA!

Vamos estudar! Só isso.

Bom Domingo a todos!


*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.


“O VALOR AMOR” ATRAVÉS DA MÚSICA

Postado em:

Hoje vou transcrever trechos  de uma carta que enviei para uma pessoa que admiro muito, falando sobre Educação.

Sobre Valores Humanos!

A competição desenfreada, os egos exacerbados e as pessoas mirando o que o outro está fazendo querendo  ser melhor. PESSOAS ESTÃO SENDO FORMADAS PARA ' ANIQUILAR ' O PODER DO OUTRO.

Fazer algo por mero STATUS, ou para mostrar que tem um diferencial melhor que o outro . ISSO SERIA NORMAL se não fosse tão agressivo. O sol nasceu para todos.

Pessoas sendo formadas para ' aniquilar ' o talento do outro ???

Fiz um curso de um semestre numa Escola Indiana  em Ribeirão Preto que se firma em 5 valores para trabalhar qualquer conteúdo pedagogicamente:

NÃO VIOLÊNCIA

AMOR 

RETIDÃO

PAZ

VERDADE

Em todas as aulas, disciplinas, atividades, tem que ter pelo menos UM destes valores a serem trabalhados.

O projeto de FLAUTA DOCE no Estado só funcionou e tivemos 6.000 flautistas em 2005, porque junto com as aulas de flauta tínhamos sempre uma historinha trabalhando um dos valores acima e sempre o valor ‘ AMOR ‘  está sendo vivenciado através da música.

No Colégio Objetivo  trabalhei as biografias dos músicos e a tarefa era : O QUE ELE TEVE DE BOM PARA ME INSPIRAR . Geralmente foi perseverança. E o sinal entre as aulas era cada mês as músicas de um compositor. Era gratificante passar pelo corredor e ver os alunos comentando sobre Bach, Villa-Lobos, Beethoven num tom de : você viu ? esse cara fazia tal coisa ...

Acredito muito neste projeto indiano.  Eu estava afastada do Estado, queria largar tudo quando fui fazer este curso em 2004.  De repente senti que  precisava voltar e praticar estas ações para que tenhamos uma sociedade mais respeitosa e feliz. PRIMEIRO O CURSO É PARA O PROFESSOR PRATICAR EM SI MESMO.

Na verdade a SOCIEDADE PEDE SOCORRO. E eu acredito NA EDUCAÇÃO, NA PEDAGOGIA e no poder de transformação com VALORES !

A prepotência que está sendo incutida nos alunos, tem feito seres humanos excludentes, egoístas, solitários, ambiciosos, frios, competitivos...

Outro dia  ouvi de uma criança algo que me preocupou muito :  “eu não gosto de fazer trabalhos em grupo e nem gosto de alunos burros”.

Os professores em geral pedem socorro ! 

A sociedade está muito doente. É uma doença contagiosa, se não nos reservarmos a analisar, meditar e transformar, estaremos todos da mesma maneira , sendo os robôs destruidores do “ outro “  neste jogo da vida !

Nesta escola indiana, o valor AMOR em todas as aulas é despertado nos alunos através da música ( música de qualidade vibracional) , cantando ou tocando ou ouvindo. São necessários apenas 5 minutos para ativar este sentimento.

Que levem música para a sala de aula ! MAIS AMOR POR FAVOR !


EDUCAÇÃO ATRAVÉS DO INSTRUMENTO MUSICAL

APONTAR AS FALHAS INCOMODA !

Postado em:

Quando um estudante de música entra numa escola para aprender um instrumento, ele terá aulas particulares com o professor do instrumento.  Este professor observa este aluno , sua conduta, seus costumes, suas mãos no instrumento, seu emocional ao tocar , sua rotina de estudo em casa, sua forma de ler e interpretar, etc , e vai orientando este ano qual é o melhor caminho a seguir. Um educador musical precisa educar o estudante para que ele tenha uma boa performance.

Qual é o papel do educador ? – educar!

Qual é o papel do pedagogo ? orientar os estudos , descobrir onde existem lacunas na forma de aprender e apreender e corrigir, orientar aluno e família para que o resultado seja satisfatório.

Qual o papel do professor de instrumento? Além de alfabetizar este aluno, vai lhe ensinar tudo o que envolve o fato de se tocar um instrumento, observando desde o comportamento emocional como as dificuldades ou facilidades físicas que o aluno tenha.

Neste momento, há que se considerar : existe confiança neste educador para que transmita ao aluno tudo o que acredita ser necessário para que ele atinja uma boa performance e obtenha o melhor do curso ? Se for uma criança, os pais precisam conhecer antes a DIDÁTICA deste professor e como ele trabalha, numa entrevista e também lendo algo sobre ele. Por este motivo escrevi dois livros sobre o estudo de piano – autoconhecimento numa didática para a vida. Se concordarem com a forma como trabalho, vamos em frente. Mas antes peço que leiam os dois livros para poderem conhecer como funciona o trabalho.

Mas as pessoas tem o hábito de leitura? Algumas pessoas não leem e depois se sentem surpreendidas quando vamos corrigir hábitos de estudo em casa ou formas de estudar, ou a falta de estudo porque depende da rotina de adultos. Os adultos comandam a casa. E querem resultados das crianças mas muitas vezes não perceberam que as crianças precisam de hábitos e rotina de estudo para um instrumento.

Estudar um instrumento musical é compromisso de treino. Sem isso, é apenas um faz-de-conta que se estuda para se ter o prazer de dizer que é matriculado num curso de um instrumento musical. E fica implícito que os pais investem na criança. Esta é a ideia que algumas pessoas tem do estudo de qualquer instrumento musical.  Mas ele vai além.

Estudar um instrumento é preciso que se tenha amor no coração. Amor pelo instrumento, amor pelo aprendizado, amor pelo que chega de novo na alfabetização, amor ao que se faz.  Este amor se desperta com disciplina e rotina.

É preciso que se tenha RESPEITO. Respeito pelo inventor do método o qual se está utilizando, ou os métodos, ou peças ou seja qual metodologia. Há que se compreender que alguém inventou algumas formas de estudar que são boas para um aprendizado mais consistente. Não se pode ficar o tempo todo questionando os grandes mestres e as heranças que deixaram para um bom estudo.

E os mestres atuais, que são os professores, são vistos como ‘ incômodos’ na educação dos filhos , porque ‘ apontam falhas’.  E ninguém gosta de ver as falhas apontadas. Então começa-se a maledicência sobre o professor : tal professor não serve por isso, outro professor não serve por aquilo, aquele tal abraça demais, o outro abraça de menos, um enxerga além e vê que o problema não é cognitivo , mas emocional, este está incomodando porque não deveria falar nada disso. Ora, então os filhos quando são levados ao médico, ou ao dentista ou à academia de ginástica, ao fisioterapeuta, tem que estar submetidos ao que os pais determinam que seja feito com as crianças? Ou se confia ou não se confia no profissional.

Fato é que APONTAR AS FALHAS NA EDUCAÇÃO sempre incomoda. Muitas vezes os pais não conseguem enxergar que estão prejudicando por agirem desta ou daquela forma.

E a pior forma dos pais agirem é dizer aos filhos : O PROFESSOR É RUIM, O PROFESSOR NÃO SABE TAL COISA, O PROFESSOR TEM ESTE OU AQUELE DEFEITO ... Uma criança já perde o encanto. Matou no ninho a chance de se construir o aprendizado de forma alegre e compartilhada.

A falta de respeito com o professor é assustadora . Não somente com o professor. Outro dia ouvi uma pessoa dizer: não deixo a empregada preparar o café das crianças porque eu é que sei. E fiquei imaginando estas crianças dependentes desta pessoa ... até quando? A criança cresce ouvindo: este país não presta, as pessoas não se respeitam, o varredor de rua não faz seu serviço direito, o bancário não atende bem, e passa a ‘ MOSTRAR O MUNDO ‘ para as crianças como o pior lugar para se viver onde não se pode confiar em ninguém, nenhuma pessoa é capaz em seu trabalho, nenhuma escola é boa, e por aí vão tecendo os comentários mais negativos e as pobres crianças crescem achando que estão no lugar errado, com pessoas erradas, fazendo coisas sem sentido porque afinal ninguém sabe ensinar a elas . Muito menos terão amigos porque são todos inadequados para terem amizade com estas crianças.

E ai daquele que enxergar uma falha nesta educação e tiver a ousadia de lhes apontar para ajudar estes seres! Será massacrado!

Lá se foi a oportunidade de ser criança ! Inocente ! Feliz ! Acreditando! Experimentando! Confiando ! Evoluindo !


*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

22 DE OUTUBRO FRANZ LISZT

Postado em:

Aos 22 de Outubro de 1811, nascia Ferencz Liszt – na Hungria, mais precisamente em Doborjan, um vilarejo onde morava a Família Liszt que trabalhava nas terras dos Estherhazy .

Francisco Liszt – traduzindo seu  primeiro nome para o português, era uma criança curiosa, gostava de fazer experiências e numa dessas aventuras quase explodiu a casa certa vez.

Os pais, Adam e Anna, tinham somente este filho. Trabalhavam como administradores das terras do príncipe.

Adam, o pai de Franz , era músico e começou a alfabetizar o menino na música. Quando percebeu sua facilidade em aprender, pediu para o príncipe uma carta de recomendação, vendeu tudo o que era seu e a família se mudou para a Áustria – Viena.

Corria a notícia de que tinha um professor de técnica em Viena, que estava formando muitos músicos e ajudando-os em suas performances. Era Carl Czerny ( 1791 – 1857). Carl Czerny foi um pianista, compositor e professor austríaco que teve entre seus professores de música, Clementi, Hummel, Salieri 

DOBORJAN-  CASA ONDE NASCEU LISZT.

Seus pais alugaram um quarto numa pensão onde colocaram também um piano para o menino estudar. E ali ficaram enquanto Czerny dava aulas ao menino Liszt.

Com 16 anos de idade ele foi para Paris, tentar se matricular no Conservatório de Paris, mas não foi aceito por ser estrangeiro. A frustração foi enorme e naquele momento ele se decidiu a estudar cada vez mais procurando grandes mestres e se tornar o melhor no que fazia. Conseguiu.

Mas não foi somente esta frustração que ele teve que enfrentar ainda jovem. Com 18 anos, lecionando piano nas casas de famílias abastadas, se apaixonou por uma de suas alunas, mas o pai dela não permitiu o namoro por ele ser músico e não ser uma profissão que ofereça tranquilidade financeira. Grande engano deste senhor, pois Liszt  ganhou muito dinheiro com suas composições e concertos. Ficou rico e realizado pois se tornou o maior pianista da História da Música e o compositor que teve a obra mais diversificada de todos. 

Nunca se casou, mas teve duas companheiras por longo tempo. A primeira lhe deu 3 filhos, a segunda comungou com ele a música no seu mais pleno sentido de comunhão.

Aos 50 anos de idade se tornou abade, pois seus relacionamentos não chegaram a se concretizar em casamento. Como era um homem místico e religioso, sentiu-se bem no convento em Roma.

Morreu aos 74 anos de idade de pneumonia.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

DIA DO MESTRE Quinze de Outubro

Postado em:

Um dia reservado para nos lembrar que tivemos mestres em nossas vidas ! Quem foram, o que fizeram, como nos influenciaram, o que trouxemos de cada um deles...

Mas a vida de mestre não é nada fácil. Pessoas querem moldá-los a seu próprio gosto e prazer de que ele seja quem elas gostariam.
Uma pessoa deseja que você seja fria como o azul
A outra te pede para ser quente como a cor amarela
Outra diz que prefere que você seja concreto como o marrom
E o outro diz que você tem que ser sóbrio como o preto
E a outra acha que você tem que brilhar como o branco
E assim... mesmo que tenhamos todas as cores dentro de nós e cada hora possamos emitir uma delas, a escolha deve ser nossa!
Que as pessoas PAREM DE DITAR NORMAS e CRÍTICAS sobre os professores!
O MESTRE escolheu esta profissão porque dentro dele tem algo chamado MISSÃO.
O mestre se prepara, estuda, estuda, estuda e nunca mais vai parar de estudar. MERECE RESPEITO. MERECE CREDIBILIDADE . MERECE ADMIRAÇÃO por estar oferecendo sua vida para ajudar na formação dos filhos de outras pessoas, seja na História, na Geografia , no be a ba ou no piano ou qualquer outro instrumento musical.
Reverência aos orientais e europeus que colocam o Mestre como seu aliado na caminhada e o respeito exalando dignidade !
Temos que ter muita paciência com julgamentos estapafúrdios. A era do achismo. Respeito aos Mestres! Eles estudam para exercer sua profissão! Vocês... nós... todos os mestres temos o dever de sermos quem somos e não o que os outros ditam que sejamos. O mestre é um escolhido por Deus. ( mestre por vocação) .


Teve alguém mais criticado que Mozart?

O pai, o arcebispo, a realeza, todos queriam ditar a ele o que deveria fazer. Hoje ele é nosso mestre ! Naquela época ele exercia a maestria da composição.

Ele nos deixa o legado da OUSADIA!

Ser quem somos ! Quando nos desviamos de nossos propósitos, perdemos o objetivo de vida e vivemos como fantoches guiados por mãos alheias.

Brincando de dizer uma frase sobre cada mestre da música

BACH – o perpetuador da partitura

CZERNY – o pai da técnica

CHOPIN -  O símbolo do Romantismo

LISZT – o inventor do século XIX

BRAHMS –  o conservador

E tantos mas tantos mestres que nos deixaram EXEMPLOS e acima de tudo seguiram seus propósitos de vida !

VIVA O MESTRE !

QUE SEJAM TODOS LEMBRADOS NO 15 DE OUTUBRO COMO TRANSFORMADORES !

Um dia fizemos um tributo a eles .

E que façamos para todo o sempre para todos os mestres que a humanidade teve, tem e ainda terá !

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

O USO, ABUSO, DESUSO E MAU USO DA MÚSICA

Postado em: - Atualizado em:

​O Brasil tem seus consagrados compositores  de música clássica, mas inegavelmente se projeta com MPB pelo mundo afora e aqui também.

É preciso dar as mãos entre o popular e o clássico porque a música de qualidade está em vários estilos. A música comercial já não visa levar uma mensagem ou um som que atinja a alma da pessoa, ela apenas quer o sucesso, vender , tocar de maneira massificadora, ser usada de maneira indevida.

Outro dia eu estava na sala de espera de uma escola de música observando uma criança com uma folha nas mãos super empolgada contando para um rapaz que acabara de chegar , que ela sabia todos os instrumentos de uma orquestra. Pegou o desenho, foi falando para ele todos os instrumentos. O rapaz, um tanto quanto insensível disse ao menino :- “não entendo nada de orquestra. Eu quero saber é de tocar violão e ir pras quebradas pegar umas mulheres.” Nem vou me referir às mulheres da forma como ele disse porque foi ofensiva.  E assustadoramente ele continuou dando conselhos àquele menino, uma criança de uns 9 anos mais ou menos: - olha , você aprenda tocar violão porque sai na frente de um monte de cara pra pegar as ‘ mulheres’ , mas não pegue uma só não, é pra pegar várias. Ano que vem quero aprender a dançar porque sai mais na frente ainda de quem toca, pega mais ‘ mulheres’.

É um contraste absurdo quando penso nas pessoas que tiveram aula no Masterclass na Alemanha e Suiça e ouvir um brasileiro dando um conselho desse para uma criança. Os alunos de música na Europa, Ásia, buscam a música para preencher suas almas, buscam o som que os satisfaça, buscam aperfeiçoamento técnico,  aprimoramento de percepções, de interpretações para transmitirem melhor a mensagem que a música clássica pede.

É chocante ver um rapaz de seus 28 anos mais ou menos induzir uma criança a estudar música para ‘ pegar mulheres’, e de uma forma brutesca, incentivando a usá-las. Foi chocante.  Deixo um recado hoje implorando para que parem de sexualizar as músicas, os crimes passionais estão aumentando, o desrespeito à mulher e às crianças. E isso  tudo se deve grande parte AO SOM PROPAGADO ... porque a música cura, mas ela também adoece a alma e o corpo.

Leia DAVID TAME – O PODER OCULTO DA MÚSICA – quando ele descreve que o imperador da China mandava seu músico para apaziguar os conflitos de determinadas regiões.

Socorro ! Vamos selecionar o que estamos ouvindo porque os crimes passionais vão piorar se continuarmos a vibrar somente sexo, e usar pessoas !

O USO DA MÚSICA QUE EMITE QUALIDADE VIBRACIONAL CURA.

O ABUSO NAS LETRAS OFENSIVAS AGRIDE E ADOECE A SOCIEDADE.

O DESUSO DA MÚSICA CLÁSSICA QUE EDIFICA E PURIFICA AMBIENTES  ESTÁ MOSTRANDO OS RESULTADOS SOCIAIS.

E O MAU USO DA MÚSICA ESTÁ TRANSFORMANDO PESSOAS EM OBJETOS.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

UNIVERSO CHAMADO MÚSICA

Postado em:

Então compreendo a “bagunça" da casa de Beethoven... sem querer obviamente me comparar a este Sol da música , mas entendendo o quanto ela toca melodias em nossa mente! Em meio a louças acumuladas, escrivaninha abarrotada de papéis, de apostilas, revistas, livros para ler, pós graduação esperando eliminar as unidades sem fim, contas a pagar, bilhetes de coisas a fazer, emails para responder, gravações para ouvir, vassoura esperando para ser usada na casa, roupas que estão batendo na máquina e esperam por ser estendidas, preocupação com um filho doente, vendo o papel de parede esperando para ser colocado por mim, mensagens que chegam no celular, lista de supermercado a fazer, faxina nos armários, lembro-me que não tomei café ainda, e a vitamina que não tomei, CDs que precisam ser organizados e uma infinidade de outras coisas, muitas mesmo, fica martelando em minha mente sobre o UNIVERSO DA MÚSICA e muitas ideias vêm e preciso escrever para poder continuar o trabalho braçal que não foi feito no final de semana.

O UNIVERSO DA MÚSICA ...

Quando resolvi montar a SALA FRANZ LISZT e deixar explícito que este ambiente clássico é para inspirar o trabalho com música clássica ou leitura de partituras, recebi muitas críticas tais como: - música clássica somente? Leitura de partituras? Ninguém quer estudar hoje em dia, querem música para passar o tempo, a cidade é pequena e não comporta este projeto de ter uma biblioteca de partituras, sala clássica, aulas de piano clássico,etc,etc, etc.

Mas neste momento quando olhei para o céu e vi a quantidade de estrelas, pensei no planeta em que vivemos e que existem tantos outros planetas e me veio uma frase de meu orientador no TCC sobre Didática: MÚSICA ERUDITA: DIAMANTE E ÁGUA que escrevi em 1998: - “escolha um tema bem restrito, por exemplo: se quiser falar sobre uma cadeira, ela é muito ampla para que você descreva bem como ela foi feita, então escolha o parafuso da cadeira e fale tudo sobre aquele parafuso, mas não deixe nada sem dizer, explore este universo chamado parafuso”. E foi quando escolhi escrever sobre a Música Erudita, porque antes o Universo era música. Pois bem, depois que escrevi isso e fui direcionando minha vida para este gênero musical, fui me aperfeiçoando em cursos voltados a ela, fiz 4 viagens para a Europa buscando um melhor conhecimento e nos Masterclasses que frequentei com vários professores renomados percebi a necessidade de focar no ‘ parafuso’.

Os professores dos Masterclasses lecionam com tamanho foco no ‘ parafuso ‘ da partitura que isso faz o aluno se tornar mais sensível, menos apressado, mais focado, observador, consciente do que é transmitir a ideia musical de alguém para ser um bom intérprete, se torna mais caprichoso e detalhista, além de muitos outros atributos.

Então pensei no meu trabalho nas escolas de ensino regular onde eu lecionava Artes voltada à História da Música ou ensinando flauta doce e percebi que eu estava querendo abraçar o mundo musical e estava sem foco. Como cada coisa vem exatamente na hora certa, me aposentei e direcionei meu foco à DIDÁTICA AO PIANO. Este seria meu parafuso. ESTE É MEU PARAFUSO. Tocar... Eu queria voltar a tocar, mas para praticar não haveria tempo de estudar. Embora já fosse graduada em Pedagogia a vida não para de se modificar, de acrescentar novos conceitos, é preciso estudar. Além disso, uma vida particular me chama, com casa para administrar, saúde para cuidar, enfim... uma vida paralela à música com muitos afazeres. Foquei no parafuso: - A DIDÁTICA E A TÉCNICA. Sim, acrescentei a técnica porque a didática envolve a técnica para que o aluno consiga desempenhar bem o seu papel . E no Masterclasse com Scherbakov uma aluna não conseguia tocar uma passagem de forma alguma (aluna já com 10 anos de estudo de piano) e ele se virou para mim, que era a única que estava ali assistindo às aulas e disse : “ - como ela resolve isso Maria?” Eu me assustei porque estava escrevendo todas as orientações dele no caderno e fiquei olhando para ele esperando que me respondesse o que ele iria orientar. Foi quando ele respondeu : - “ Czerny, Czerny, Czerny !!! “ Ou seja, a menina tocava uma peça de Liszt mas não conseguia a destreza necessária e ele pediu que ela recorresse ao estudo de ‘ academia de dedos’.

Bom, então, as pessoas me procuram para aulas de teclado, música popular, jazz, musicalização infantil, MPB, aulas de teoria, harmonia, me convidam pra montar coral aqui e ali, me convidam para acompanhar coral ou serem alfabetizadas em música clássica e cada um procura aquilo que mais deseja do Universo Musical. Mas foquei no ‘ parafuso ‘ - DIDÁTICA E TÉCNICA . Olhando para o céu e vendo estas várias estrelas formando uma galáxia complexa, escolhi o pequeno brilho da estrelinha da Didática e da Técnica. E na escolha escrevi dois livros sobre o assunto: A HORA DE TOCAR PIANO e O PIANO UM ESCULTOR DA ALMA.

O UNIVERSO MUSICAL o próprio nome já diz: UM UNIVERSO. E para abraçar tudo perdemos os detalhes, pelo menos eu sou assim: prefiro me especializar e fazer bem uma coisa, essa coisa hoje se chama ALFABETIZAR AO PIANO, sendo que a DIDÁTICA escolhida foi: holística. Procuro enxergar o aluno como um universo particular, e que através do piano ele possa esculpir sua alma como melhor lhe satisfizer. Isso é completamente individual. Cada estrelinha é única. Cada parafuso é único embora se pareçam, estão em lugares diferentes na mesma cadeira.

E assim... CADA ESTRELA ou gênero musical, ou preferência ou escolha tem seu brilho individual que compõe a galáxia musical. Ofereço uma estrelinha ... Outro profissional oferece outra estrelinha, e juntos vamos formando este céu maravilhoso que entoa vários sons de vários países, culturas, manifestações, enfim ... Assim é na Medicina com seus especialistas. Assim é na Educação com seus especialistas em várias disciplinas, assim é na vida com nossas escolhas !

A MÚSICA É UM UNIVERSO! TUDO É VÁLIDO! TUDO É LINDO! Quando existe o foco na sua estrela, aceitando seu pequeno brilho no Universo, ela será a estrela mais duradoura e vai durar enquanto sua programação de vida existir!


*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.

O QUE É UM MASTERCLASS?

Postado em:

O próprio nome já nos sugere o que seja , mas há algo mais profundo na criação desta modalidade de curso.

Quem criou esta modalidade foi FRANZ LISZT e como quase tudo na vida vem da necessidade, foi mesmo por necessidade que ele os criou. Não a necessidade financeira, mas a de atender a tantas pessoas que viajavam em busca de seus ensinamentos . Como ele não poderia atender a todos, criou a forma coletiva de dar aulas de piano. Um aluno tocava e ele corrigia, sugeria, demonstrava e todos os outros aprendiam com aquele que estava ali no momento .

Esta modalidade sempre tem os ouvintes e os participantes ativos e o mestre.

No século XIX Franz Liszt morava em Weimar, uma pequenina cidade alemã que é conhecida por vários motivos : nesta cidade morou Bach, Mozart, mesmo que por pouco tempo; também Goethe, Schiller, Rudolf Steiner, e muitos outros grandes expoentes da humanidade. Esta cidade tem uma atmosfera diferenciada. A história já conta sobre a República de Weimar.

Tudo o que precisava ser lançado, transformado, edificado, parece que passou por ali e os expoentes eram atraídos por esta cidade.

Com Franz Liszt e na música não foi diferente.  Os masterclasses de Franz Liszt eram maravilhosos porque colocava os músicos no patamar cultural. Reuniam-se para apreciar um quadro e analisa-lo, darem seus pareceres sobre ele, para declamarem poemas, para conhecerem obras literárias e trocarem informações sobre isso, além de tocarem piano e também violino e outros instrumentos . Eram reuniões de alta capacitação cultural.

Franz Liszt morava no Altenburg, uma casa de 3 andares onde ele e a princesa Caroline fizeram seu ninho de amor no segundo andar. No terceiro, ficavam os quartos onde os artistas se hospedavam. No térreo era a sala onde expunham obras de arte que Caroline colecionava e também serviam de inspiração para os músicos.

E então, os Masterclasses surgiram da necessidade de poder atender a tantas pessoas que procuravam Franz Liszt para que ele lhes ensinasse os segredos de ser um músico tão especial.

A inspiração neste trabalho me fez fundar em 2001 a Casa dos Músicos, que era composta de 9 salas – ( sala de vídeo / biblioteca Franz Liszt,  sala de estudos J.S. Bach, sala do piano J. Brahms, recanto floral Frederic Chopin, sala da União das Artes Eugene Delacroix, Espaço Aberto Franz Schubert, Ludoteca Musical Mozart, Arquivo Robert Schumann, Espaço Villa-Lobos. Vários motivos me impediram de continuar, mas é um lamento tê-la fechado.

Só de entrar num lugar destes, é uma aula de História pois cada sala tinha estampado nas paredes a fotos da biografia do compositor que dava nome a ela. Compartilho esta ideia aqui para que possa servir de inspiração para quem deseje criar espaços culturais.

Um Masterclasse também pode ser feito desta forma  a meu ver.

E certa vez, participando do Masterclasse de Paul Badura Skoda, ele nos levou ao Castelo de Weimar onde estão reunidos os pianos  dos grandes compositores : Schubert, Beethoven, Chopin, Liszt ... e outros. A ideia deles é continuar adquirindo estes pianos raros para coloca-los em exposição no castelo/museu . Nós, como alunos do Masterclass pudemos ouvir os pianos, experimentando-os. É uma sensação indescritível porque você ouve o que Beethoven ouvia , quando ainda podia ouvir e também outros. É fantástico. Foi um Masterclasse inesquecível.

Liszt era apedrejado com críticas , tentaram de todas as formas denegrir sua imagem , como percebemos hoje quando várias pessoas tentam fazer o mesmo conosco porque nos destacamos nisso ou naquilo ou porque contestamos determinadas atitudes.

Admiro a capacidade que ele teve de seguir em frente com suas inovações, seus masterclasses ( únicos para a época) , uma ideia que ficou para os dias de hoje. Era um visionário que não se deixava atingir pelas pedradas que levamos cotidianamente seja por familiares ou quaisquer outras pessoas. Sim, Liszt foi apedrejado pela sua primeira esposa, que tentou de todas as formas denegrir sua imagem, chegando a escrever um livro pontuando seus defeitos. De nada adiantou. A história manteve os bons feitos de contribuição inestimável para a humanidade!

PIANO QUE FOI DE SCHUBERT​

PIANO QUE FOI DE LISZT:​

PAUL BADURA SKODA ​


ALTENBURG​


*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.






Programação Neuro-Linguística na Música

Postado em:

Tive oportunidade de estudar sobre PNL – Programação Neuro-Linguística. Também buscando por pesquisas na internet encontrei um trabalho sobre PNL NA MÚSICA, e buscando aqui e ali, lendo sobre Neuro-Aprendizagem, percebi que estamos numa outra fase planetária onde podemos aprender muito mais rápido do que antes, basta aplicarmos as técnicas ensinadas pela PNL .

Usamos somente 7% ( na média) da nossa capacidade cerebral. E quando utilizamos mais o cérebro, temos chances de aprender mais, de formas diferentes e passarmos isso para a emoção e podermos transmitir mais amor, mais compreensão, mais verdade.

Fui a uma palestra esta semana sobre PNL . E pude ver a busca das pessoas por esta ferramenta preciosa. Um grupo comprometido com sua evolução pessoal compareceu interessado numa melhoria e que possa estender esta melhoria a outras pessoas. Dá um conforto tão grande quando vemos pessoas se movendo para melhorar a si mesmas e consequentemente o mundo que as rodeia ... Estamos vivendo um momento de enxurrada de más notícias , quando de repente um grupo se reúne buscando SOLUÇÕES.

Quando fui a esta palestra, meu dia tinha sido difícil, tive dor de dente, tomei anestesia, estava ainda sob o efeito do estresse da dor, da anestesia e quase não me aguentava ali, quando me levantei para ir ao toillete eliminar as toxinas da anestesia , voltando, ouvi o final de uma história queo palestrante contava sobre um senhor de idade que reclamava da vida, das dores, da saúde,etc, quando seu neto lhe pediu que lhe contasse casos de quando eles brincavam, quando o neto ainda era pequeno. Neste mesmo instante cessaram as dores e o avô tomou outra postura perante a vida e àquele momento, deixando de sentir o peso da idade.  Experimentei ali na palestra fazer o mesmo sobre o desconforto do dente e comecei a cantarolar mentalmente as notas de uma partitura musical, depois comecei a cantarolar mentalmente a música que minha netinha adora... Quando percebi, já estava sem dor. Funciona mesmo ! Mudar o foco !

Com os alunos de piano a mesma coisa. Percebi que já aplico PNL desde que comecei a trabalhar e também em fatos de minha vida. Meu pai nos ensinava sobre pensamento positivo, doenças psicossomáticas, como devemos fazer uma visita a um doente para levar conforto e não lamentos, como controlar a mente, respirar fundo e traçar metas. Ele era um sábio, aplicava PNL sem ter o conhecimento teórico, era intrínseco em sua maneira de ser.

É uma gama de ferramentas que pode ser utilizada em tudo, mas falemos de música nas Fofocas Musicais ...

Primeiro alerta é : - observe o que está ouvindo. O que sente após ouvir determinada música? Qual é a vibração que esta música traz? Ela te impulsiona para vencer ou te joga pra trás? Música também adoece! Mas música também cura. Experimentar escolher o que se ouve é uma tarefa que parece dar trabalho, mas é melhor do que tomar um remédio comprado na farmácia. Usar o remédio chamado música funciona para vários casos.

Gosto muito deste trecho de uma palestra que sempre me enviam pelo Whatsapp:

Neste outro link temos a FAMOSA SONATA K 448 de Mozart utilizada para ativar o raciocínio lógico-matemático , pesquisa da década de 90 nos EUA. E funciona !  Fiz testes em escolas com alunos em provas de matemática ouvindo Mozart. Relaxam e ativam a zona cerebral relacionada ao raciocínio lógico.

OUVIR BOAS MELODIAS É UMA PROGRAMAÇÃO CEREBRAL PARA SER MAIS BEM SUCEDIDO E FELIZ !

Esta programação poderá auxiliar em qualquer situação da vida. Pessoas que estão sempre querendo controlar os outros, falam mal das pessoas, caluniam, inventam fatos por inveja ou vingança porque não foram atendidas em seus desejos, podem ser mais felizes se experimentarem um treinamento chamado Desenvolvimento de Liderança. Liderar a si mesmo e liderar filhos, pessoas no trabalho, mas com respeito e amor.

O Universo tem leis. Uma das leis é a do retorno. Se alguém profere uma calúnia , ou diz uma mentira sobre alguém, aquilo volta com toda força para ela mesma. O contrário também acontece : se a pessoa emite pensamentos bons para amigos e inimigos, ela recebe de volta potencializado. Isso também está descrito na PNL numa das ferramentas utilizadas para o desenvolvimento.

“Pense na cenas finais dos filmes, ET e Titanic, ok... agora tire suas músicas e pronto nenhum deles ganhariam "Oscars", pois a música é uma coisa muito poderosa em nossas vidas, com certeza você já deve estar pensando em dezenas ou centenas de filmes ou propagandas onde isso poderia ocorrer.” Alexandre Bortoletto

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.