Câmara derruba mais um veto do prefeito, desta vez, do "Setembro Verde"

Vetos de Gilson de Souza têm sido criticados até mesmo pela base governista

Postado em: em Política

​Conforme era esperado, o veto parcial do prefeito Gilson de Souza (DEM) ao projeto de lei já aprovado pelo Poder Legislativo criando o Setembro Verde foi derrubado pelos vereadores. 

O projeto prevê tão somente ações voltadas aos portadores de deficiência de Franca, como enfoque de orientação e inclusão deste público. Somente os vereadores Nirley de Souza (PP), Arroizinho (PMDB) e Pastor Otávio (PTB) foram favoráveis ao veto de Gilson ao Setembro Verde.

O autor do projeto, Adermis Marini (PSDB), e até mesmo os vereadores da base governista de Gilson criticaram a postura do prefeito. 

E não é para menos. A iniciativa do "Setembro Verde" prevê nada mais que uma série de ações voltadas a dar visibilidade à causa da pessoa com deficiência. Em nada onera os cofres públicos. Setembro foi escolhido para essa ação em razão do dia 21 ser o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência. Já a cor verde foi escolhida por simbolizar a esperança e o renascimento.

O projeto prevê ações que despertam a conscientização e disseminação da importância da inclusão social da pessoa com deficiência, que podem envolver o estímulo à participação social; a conscientização da família, da sociedade e do Estado sobre a importância do assunto e em nada iria onerar os cofres do município.

Esse foi dos vetos do prefeito a várias outras matérias simples, mas de bom potencial de importância para os francanos, aprovadas pelo Legislativo e barradas por Gilson de Souza que agora terá de engolir em seco e implantar o programa. Ou, bem improvável, entrar com uma ADIN - Ação Direta de Inconstitucionalidade.



  • Vereadores Adermis Marini e Nirley de Souza têm tido embates na Câmara sobre gestão do prefeito de Franca

Artigos Relacionados