Buscas por desaparecidos após barco virar no Lago de Furnas são retomadas

Homem de 63 anos e duas crianças estão desaparecidos; corpos de duas mulheres foram encontrados

Postado em: em Segurança

Sebastião Gomes, de 63 anos, e duas crianças continuam desaparecidos (Foto: Reprodução/EPTV)

As buscas pelas vítimas de um acidente ocorrido na tarde de sexta-feira, 27 de dezembro, em Furnas (MG), foram retomadas na manhã deste sábado, 28, pelo Corpo de Bombeiros.

O objetivo é encontrar três pessoas da mesma família que estão desaparecidas após o barco em que estavam no Lago de Furnas, entre Carmo do Rio Claro (MG) e Guapé (MG), virar. A família mora em Franca e estava no Sul de Minas para festas de fim de ano.

Segundo familiares, os desaparecidos são Sebastião Gomes, de 63 anos, e duas crianças, que seriam sobrinhas dele. A primeira informação era de que Sebastião já tinha sido encontrado, mas a família informou que as buscas seguem.

A filha de Sebastião, Luiza Gomes, afirma que o aposentado de 63 anos sabia nadar, mas teria se afogado ao tentar ajudar as duas crianças que estavam na embarcação.

*Com auxílio EPTV

Além deles, outras três pessoas estavam no barco. O Corpo de Bombeiros informou que um homem, que pilotava a embarcação, conseguiu se salvar. Os corpos de duas mulheres, que também eram sobrinhas de Sebastião, foram retirados da água.

Eles foram levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Varginha (MG). A previsão é que o velório e o enterro sejam no distrito de Aparecida do Sul, em Guapé.

Causas e investigação

O barco de madeira movido a motor onde a família estava virou durante a tarde desta sexta-feira.

As causas do acidente ainda são desconhecidas. Segundo o capitão corveta Fabio Luis Moreira Jacobucci Bambace, futuro delegado fluvial de Furnas, a Marinha está coordenando as buscas às vítimas do acidente e irá apurar as responsabilidades.

Será instaurado um inquérito para averiguar se os tripulantes usavam ou não colete salva-vidas, se a embarcação era registrada e se o condutor tinha habilitação de acordo com o barco.

Ainda conforme o capitão, a fiscalização das embarcações no Lago de Furnas cabe à Marinha do Brasil, por meio da capitania fluvial de Minas Gerais, com sede em Belo Horizonte. E que são feitas operações em que são deslocadas viaturas e embarcações para intensificar as fiscalizações.


Artigos Relacionados