Áreas rurais do Estado de SP passarão a ter ações para repressão criminal

Estratégia central da operação é a promoção de ações preventivas por meio de saturação de policiamento

Postado em: em Segurança

O Governador João Doria anunciou, durante a edição 2019 da Agrishow, a Operação Área Rural Mais Segura, que irá desenvolver ações de alta ostensividade e de repressão criminal, além de aumentar a percepção de segurança no campo. Serão realizadas três operações por mês, sendo uma delas de grande envergadura e simultânea em todo o Estado, envolvendo todo o efetivo operacional em serviço. Outras duas ações serão de menor porte, mas muito bem estruturadas e desenvolvidas por comandos regionais, com o apoio de unidades especializadas.

A estratégia central da operação é a promoção de ações preventivas por meio de saturação de policiamento e estacionamento de viaturas em locais pré-definidos, além da realização de visitas aos moradores das comunidades rurais. Nas operações de grande envergadura participarão policiais do Comando de Policiamento Ambiental, Comando de Aviação, Comando de Policiamento de Choque, Comando de Policiamento Rodoviário, Comando do Corpo de Bombeiros, além de, evidentemente, do policiamento de área territorial.

Baep

 

Durante a feira de agronegócio, o Governo de São Paulo também anunciou a criação do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) de Ribeirão Preto. A data estimada para o início das operações é 16 de dezembro. O treinamento dos policiais que farão parte do batalhão começará em 4 de novembro e será realizado em quatro etapas, conforme as disciplinas: Patrulhamento Tático; Gerenciamento de Crises; Negociações com Reféns; e Busca e Localização de Artefatos Explosivos.

"O Baep conta com policiais treinados pela Força Tática e Rota, com o melhor da Polícia Militar de São Paulo, da melhor Polícia Militar do país. Com novos armamentos, drones, automóveis, motocicletas, equipamentos de tecnologia e ação integrada com a Polícia Civil", disse Doria.

O Baep Ribeirão contará com 268 policiais militares e 30 viaturas SUV. O diferencial do batalhão é justamente o treinamento e a capacitação do profissional de polícia para atuar no policiamento tático, em ações de policiamento de choque e no policiamento em eventos, contando ainda com policiamento montado e policiamento com cães.

Copom

 

A região também irá receber um novo Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). No dia 8 de maio, será realizada sessão pública para abertura da licitação para a construção e instalação de infraestrutura da unidade que atenderá 3,7 milhões de pessoas em 93 municípios. O valor do investimento para a construção é de aproximadamente R$ 20 milhões, enquanto o valor estimado de infraestrutura tecnológica é de R$ 15 milhões. O contrato deve ser assinado em 90 dias. O prazo para a conclusão das obras é agosto de 2021. A instalação da infraestrutura, após a entrega do prédio, está prevista para ocorrer em até 4 meses.

"Quando inaugurarmos o Copom, as ações serão fortalecidas ainda mais na integração da inteligência da Polícia. A vantagem da inteligência da Polícia é que ela previne o crime. Ela atua antes do crime ocorrer. Portanto, ela melhora muito a eficiência", afirmou o Governador.

Viaturas

 

A PM anunciou, ainda durante a Agrishow, que 1.674 novas viaturas serão adquiridas, com investimento total de quase R$ 123 milhões. Só em Ribeirão, serão entregues 97 novas viaturas, com investimento total de quase R$ 7 milhões. Para outros municípios do interior, serão entregues mais 630 viaturas, com investimento aproximado de R$ 48,9 milhões. Os veículos devem ser entregues na segunda quinzena de julho.

Bases Comunitárias Móveis

 

Ribeirão Preto também receberá 10 Bases Comunitárias Móveis, com investimento total de 1,5 milhão. Elas fazem parte de um pacote de 400 BCMs a serem adquiridas pelo Estado. A Base Comunitária Móvel usa o Sistema Japonês KOBAN, dentro da filosofia de Polícia Comunitária de prevenção e aproximação com a população. Estacionada em locais críticos, a van conta com efetivo de 3 a 5 homens e é equipada com rádio digital, giroflex, toldo, computador e espaço para fazer boletim de ocorrência – BO.

"Ao lado de veículos, motocicletas, drones e armas, as bases comunitárias também serão ampliadas na região de Ribeirão Preto para garantir à população uma segurança pública de melhor qualidade", disse Doria.

Projeto Câmeras Corporais

 

A região de Ribeirão Preto receberá ainda o projeto Câmeras Corporais (Bodycam), por meio do qual o policial militar de serviço tem uma Câmera Operacional Portátil (COP) acoplada ao uniforme. Desenvolvido em alguns batalhões da capital, ele será expandido para o interior nos próximos anos. O valor estimado de contratação é de R$ 3,5 milhões por ano, considerando um contrato de cinco anos.


Artigos Relacionados