APAE Batatais distribui marmitas a 71 famílias em parceria com o Sesi-SP

A iniciativa promoverá a distribuição de um total de 274 marmitas por dia até o final deste mês

Postado em: em Cidades

A APAE Batatais é uma das instituições da cidade beneficiadas pela ação do Sesi-SP (Serviço Social da Indústria do Estado de São Paulo), que está distribuindo, gratuitamente, 230 mil refeições por dia a comunidades carentes de 108 cidades do interior do estado além da capital. 

As entregas tiveram início no último dia 11 de maio, e seguem até o final desta semana, com a distribuição prevista de 4 milhões de refeições.

A parceria foi firmada com ONGs, igrejas e projetos sociais que possuem capacidade de logística para retirar e entregar as refeições. 

Em Batatais, segundo informações da diretora da Escola Sesi, Mônica Rezende, até o dia 30 de maio serão entregues 1.200 refeições por dia, totalizando ao final do mês, 26 mil marmitas.

Além da APAE Batatais estão sendo beneficiadas outras doze organizações. São elas: Lar São Vicente de Paulo; Comunidade Santa Rita; Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santa Luzia; Comunidade Divina Misericórdia; Casa de Apoio Peniel; Cantinho do Futuro; Associação Oficina Escola ‘Professor Eurípedes Barsanulfo’; Associação Comunidade Auxiliadora Recuperando Vidas; Associação El Shadai; Comunidade Lagoinha de Batatais; Igreja Presbiteriana de Batatais e Fundação Lazzarini.

Na APAE Batatais a iniciativa beneficiará 71 famílias com a distribuição de um total de 274 marmitas por dia. 

A triagem dos beneficiados foi realizada pela equipe de assistência social da instituição e teve como base os dados socioeconômicos dos usuários. 

Um protocolo de distribuição foi elaborado para evitar a contaminação pelo novo coronavírus e está sendo adotado durante a entrega das marmitas, seja via delivery ou presencialmente.

Segundo a coordenadora de saúde, Patrícia Rocha, a parceria com o Sesi-SP surgiu em um momento muito importante. 

“As famílias estavam numa situação de risco social. Até aquelas que não precisavam de ajuda no passado, hoje veem suas rotinas financeiras impactadas pelo isolamento social, uma vez que não podem trabalhar. A iniciativa vai beneficiar pessoas que realmente precisam desse recurso”, conclui Patrícia.


Artigos Relacionados