Além de prevenir doenças, alimentação é importante aliada no tratamento delas

Cardápio variado e adequado para cada quadro clínico aumenta a imunidade e controla patologias

Postado em: em Mais+

Certamente você já ouviu aquele famoso ditado "você é o que você come". A expressão que alerta sobre a importância da prática de hábitos saudáveis para evitar problemas sérios de saúde, também pode despertar a máxima de que além da prevenção, a escolha de uma boa alimentação pode ser uma importante aliada no tratamento de muitas doenças. Um cardápio variado e adequado para cada quadro clínico aumenta a imunidade e auxilia no controle de algumas patologias.

As chamadas doenças crônicas como a diabetes, hipertensão arterial e colesterol, por exemplo, são os principais fatores para desencadear questões mais graves, como é o caso dos problemas cardiovasculares, responsáveis por atingir cerca de 300 mil brasileiros. Porém, mais do que evitável, alguns casos podem ser até revertidos apenas com alimentos. Uma alimentação saudável e um planejamento dietoterápico específico recomendado por um especialista é um diferencial no tratamento e leva a melhora do quadro dessas doenças. Segundo a nutricionista Bruna Miller, do Hospital São Luiz Unidade São Caetano, nossos hábitos influenciam em vários aspectos do organismo. Se a pessoa tem uma alimentação regrada e saudável, essa influência será refletida diretamente no auxílio do tratamento de doenças que ela possa ter ou desenvolver futuramente.

"Toda patologia deve ser acompanhada por uma alimentação diferenciada, respeitando as necessidades nutricionais. Mas, de modo geral, as orientações são: se alimentar em horários regulares, pelo menos seis vezes ao dia, respeitando as refeições do café da manhã, almoço e jantar, intercalados com três lanches intermediários. Além disso, consumir no mínimo dois litros de água diariamente", explica Bruna. Já no caso de doenças cardiovasculares, além de seguir essas orientações, também é preciso seguir outras ainda mais específicas que vão ver propostas por um profissional.

A nutricionista alerta também que para um saldo positivo no bem-estar do paciente é preciso saber escolher os alimentos corretos. "Quanto menos manipulado e processado o alimento for, mais saudável ele é, pois não perde propriedades, mantendo seus nutrientes para consumo. A permanência destes componentes essenciais no organismo que garantem a imunidade elevada e controle de doenças", complementa.

Visto que um cardápio rico e diversificado é uma boa pedida para o dia a dia, nos hospitais também é considerado um diferencial no tratamento dos problemas de saúde. Atualmente, com serviço de hotelaria diferenciado e personalizado, a famosa comida que antes era conhecida como "sem gosto", ganhou um espaço diferenciado, agregando às refeições maior satisfação e se transformando em uma ferramenta importante para a recuperação do paciente internado.

A nutricionista pontua que em casos de internação o maior desafio é lidar com a restrição de alguns ingredientes básicos que dão sabor as comidas e, mesmo assim, preparar uma refeição que agrade o paladar do paciente. "A ideia é fazer algo semelhante ao que está acostumado a consumir em casa, garantindo uma refeição nutritiva de acordo com sua prescrição dietética. Nesta hora nós recorremos à criatividade para unir o sabor e apresentação para que o paciente aprove e, consequentemente, se recupere conforme o esperado", finaliza Bruna.


Artigos Relacionados